A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Luiz Gonzaga Belluzzo

Economista e professor.
Além de Rússia versus EUA, por Luiz Gonzaga Belluzzo

“Às ameaças americanas de protecionismo, os chineses responderam com a defesa do multilateralismo do livre-comércio. Os yankees gritam: há anos eles, os chineses, roubam os nossos empregos!”

Nazifascismo estrutural, por Luiz Gonzaga Belluzzo

Essa camada de homenzinhos, como os peixinhos mergulhados em seu egocentrismo, não consegue reconhecer o ambiente social em que vive. Por isso, exerce seus desejos, medos e anseios em aras de agressividade contra os demais.

Belluzzo: Não Olhe para Cima, o narcisismo do apocalipse

Filósofos, sociólogos e psicanalistas já arriscaram a pele no desvendamento desse fenômeno psicossocial, o narcisismo dos ressentidos e fracassados

A Prevent Senior e o desvalor da vida

Na prestação de serviços de saúde por empresas privadas, a rentabilidade financeira inexoravelmente comanda as decisões.

Os Correios estão no corredor da morte das privatizações

A onda de privatizações obedece à lógica patrimonialista e rentista do moderno capital financeiro, em seu furor de aquisições de ativos existentes. Nada tem a ver com a qualidade dos serviços prestados, mesmo porque os exemplos são péssimos.

Sobre a carta de economistas e empresários

Alguém já disse que o pensamento dos mercados não trata das coisas dos homens, mas dos homens das coisas. A apropriação dos homens pelas coisas realiza o fenômeno da reificação, da coisificação.

A Lava Jato, o general Villas Bôas e a miséria que contamina poderes

A falta de compostura dos procuradores e juízes da Lava Jato e a conspiração do general Villas Bôas denunciam muito mais que um episódio de mau comportamento eventual que ultrapassa os limites da legalidade

A China e seus 50 anos em 5

Todas as fundações institucionais, produtivas e financeiras da China estarão concentradas na tarefa de construir a plena soberania tecnológica

Luiz G. Belluzzo: Informalidade formalizada

As reformas pretendidas por Paulo Guedes, em especial a trabalhista, configuram uma inovação retrógrada.

O credo neoliberal que resulta em exclusão e desigualdade

Usam a regulação do mercado para preservar a concorrência e impedir as interferências nefastas da proteção social aos “ineficientes”

Belluzzo: O velho capitalismo reconcilou-se com sua natureza

Liberto amarras que o domesticaram nos 30 Anos Gloriosos do imediato pós-guerra, o velho capitalismo rapidamente transmutou a concorrência perfeita em concorrência monopolista e impulsionou o enriquecimento financeiro em detrimento daquele decorrente do esforço produtivo

No sistema atual, poder e riqueza são inseparáveis

Os ganhos propiciados pela valorização da riqueza financeira sustentam o poder dos ricos.

1 2