A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Urariano Mota

Jornalista, é autor dos romances Soledad no Recife, O Filho Renegado de Deus e A Mais Longa Duração da Juventude. É colunista do Vermelho e colaborador do Prosa, Poesia e Arte.
Urariano Mota: Pai e filho comunistas em conflito

O Prosa, Poesia e Arte publica um trecho do romance A Mais Longa Duração da Juventude (2017), de Urariano Mota, sobre a tensa conversa entre um pai e um filho, ambos comunistas. Confira!

Um amor vermelho como antes

Para Christiane Brito (1959-2020), que partiu.
Para José Carlso Ruy, que muito a amou.

Urariano Mota: Gilberto Freyre

Nos 120 anos do nascimento do pernambucano Gilberto Freyre, o Prosa, Poesia e Arte o homenageia com o artigo de seu conterrâneo Urariano Morta, extraído do Dicionário Amoro do Recife. Confira!

Urariano Mota: A guerreira Soledad volta

No 8 de Março – Dia Internacional da Mulher, o Prosa, Poesia e Arte homenageia a militante comunista Soledad Barret, uma das vítimas da ditadura militar brasileira. O texto, de autoria do escritor Urariano Mota, é parte do romance A Mais Longa Duração da Juventude (Literarua, 2017).

Urariano Mota: Viva a China!

Estamos a favor do futuro chinês, que é nosso próprio futuro

Clídio Nigro, o compositor mais popular do carnaval de Olinda

Por 26 anos, Chico Buarque visitou a casa de Clídio, bebeu, comeu, conversou, cochilou depois de muitas, e saiu de lá quase como entrou, oculto em uma máscara de palhaço

Urariano Mota: O encontro de Graciliano Ramos com Nise da Silveira

Conterrâneos de Alagoas, a psiquiatra e o escritor foram prisioneiros políticos na ditadura do Estado Novo

Urariano Mota: Soledad Barret em sua última hora

Há 47 anos, a resistência ao regime militar perdia Soledad Barret Viedma (1945-1973). Nascida no Paraguai e radicada no Brasil, a militante da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) foi traída e entregue à morte, aos 28 anos, pelo próprio companheiro, José Anselmo dos Santos, o Cabo Anselmo, de quem estava grávida. Em sua homenagem, o Prosa, Poesia e Arte publica um trecho do romance Soledad no Recife (Boitempo, 2009), do escritor pernambucano Urariano Mota.

João Cabral, a poesia que serve à verdade

Poeta com dicção sertaneja do Nordeste, João Cabral de Melo Neto não veio do sertão. Veio do Recife e da infância vivida na Zona da Mata

Urariano Mota: Reginaldo Rossi, o rei dos sem rei

O dia em que “Reiginaldo” constrangeu Miguel Arraes