A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Urariano Mota

Jornalista, é autor dos romances Soledad no Recife, O Filho Renegado de Deus e A Mais Longa Duração da Juventude. É colunista do Vermelho e colaborador do Prosa, Poesia e Arte.
Ataque à estátua de Ariano Suassuna e a cruzada contra a cultura

Essa canalha sabe as razões por que derrubam e depredam valores universais esculpidos em pedra no Recife. Pois como vândalos são bárbaros, que odeiam a cultura.

Urariano Mota: Dia de Joaquim Cardozo

Quem foi capaz de cantar o amor do mundo com estes versos, pode muito bem esquecer que um dia calculou Brasília

Urariano Mota: 15 anos da morte de Jean Charles de Menezes

O terrorista somos todos não nascidos com os caracteres identificáveis na massa de cães e de hooligans. A nossa cabeça é o alvo

Gustavo Felicíssimo: Nova Evocação do Recife

Felicíssimo realizou um poema criador, como uma releitura do Evocação do Recife

Urariano Mota: O Recife tem a terceira rua mais linda do mundo

Quem é do Recife, quem já viveu no Recife, quem passou um tempo no Recife, sempre dirá: eu tenho um caso pessoal com esta cidade

Urariano Mota: Gilberto Gil no Recife, uma difícil entrevista

Esta entrevista foi feita a duras penas com o então ministro da Cultura, Gilberto Gil, em fevereiro de 2007, mas merece ser relida também por revelar os ossos do ofício, e o périplo que é gravar em alguns minutos as opiniões de um superstar-ministro.

Urariano Mota: Felicíssimo Oratório das Águas

A maioria das pessoas o vê apenas como um editor, mas Gustavo Felicíssimo vive e procura viver no mundo material da poesia

Chico Buarque e a geração que lutou contra a ditadura

Que tempos difíceis Chico viveu e vivemos, do passado ao presente! O quanto ele soube e sabe se portar com dignidade humana, artística e política, em meio à desesperança da ditadura, primeiro, e sob o novo fascismo hoje

Urariano Mota: Miguel, os 5 anos mortos, e a escravidão

O caso de Miguel Otávio e Mirtes Renata, filho e mãe, é um modelo de crime que não se pune, crime didático antes do sangue do menino, durante e depois

Urariano Mota: Por que a bandeira do Partido?

Não sei como veio o salto do livro e da morte para a bandeira do partido. Mas sei que veio com força o desejo de ver a bandeira, que significava, “esta é a sua identidade”.

Urariano Mota: A pátria para os suburbanos em Água Fria

A pátria é a família de Bolsonaro? Será a do ministro da “educação” que gritou viver no sacrifício, coitado, por ter virado ministro? Ou a do ministro do “meio ambiente”, que reivindicou o tempo da “paz” do coronavírus para desmatar a Amazônia?

Urariano Mota: A literatura e o cinema

A literatura tem uma superioridade estética, de aprofundamento do humano, que o cinema não tem, nem pode ter

1 2 3