A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Tag: Marighella

Há 40 anos Jorge Amado e Niemeyer homenagearam Marighella

Por Luiz Claudio Ferreira*

Filho de Marighella afirma que “é tudo ainda muito doloroso” 

4 de novembro de 1969. Carlinhos era um jovem de apenas 21 anos de idade quando recebeu a notícia de que o pai, o guerrilheiro e líder comunista Carlos Marighella, então com 58 anos, havia sido assassinado em São Paulo. Hoje, aos 71 anos, lembra que era acostumado a receber falsas informações de emboscadas contra o pai.

"É o Brasil de hoje que torna vida de Marighella atual", diz biógrafo

 Cinquenta anos após sua morte, guerrilheiro desperta mais amor e ódio do que no tempo em que viveu, afirma jornalista Mário Magalhães, autor da biografia que serviu de base para filme dirigido por Wagner Moura.

Marighella: entre o fato, a fake news e a ficção

Como a história do “kit gay” ou da “mamadeira de piroca”, que já caíram no anedotário nacional, em que pese sua dimensão perniciosa, a farsa, dessa vez, gira em torno da figura de Estela Borges Morato, uma investigadora de polícia que teria sido “vítima do terrorismo”

Por Carlos Zacarias de Sena Júnior*

Domingo Fernandes: Marighella tinha o dom de simplificar as coisas

O lançamento no Brasil de “Marighella”, filme de Wagner Moura inspirado na biografia escrita pelo jornalista Mário Magalhães, ocorrerá em um momento em que, quem for ver o filme, vive um contexto de confronto na sociedade semelhante aquele que Carlos Marighella viveu na década de 60 no país.

Vladimir Safatle: Marighella e o direito de resistência à tirania 

Nesta semana, em meio à sucessão de escândalos e à apresentação de uma reforma da Previdência visando submeter as parcelas pobres da população a um regime ainda mais brutal de espoliação no trabalho e sujeição, o sr. Bolsonaro conseguiu encontrar tempo para comentar um filme.

Por Vladimir Safatle, na Folha de S.Paulo

“Marighella” estreia no Festival de Berlim com protestos

Longa é exibido na mostra principal do Festival de Cinema de Berlim. Diretor da obra, Wagner Moura passa mensagem política na estreia, que tem presença de Jean Wyllys. "É um filme necessário", diz ex-deputado à DW

Mário Magalhães: Marighella desperta hoje mais amor e ódio 

O filme Marighella, dirigido pelo ator Wagner Moura, tem estreia mundial nesta semana, durante o 69º Festival Internacional de Cinema de Berlim. O lançamento coincide com os 50 anos da morte do guerrilheiro que foi deputado federal pelo Partido Comunista do Brasil (na época, PCB) e desafiou o regime militar brasileiro, sendo assassinado pela repressão em 4 de novembro de 1969.

Marighella: Exemplo de resistência e amor ao Brasil

Era pouco mais de oito da noite do dia 4 de novembro de 1969 quando Carlos Marighella foi capturado e morto por agentes da ditadura militar, a um mês de completar 58 anos. Nascido na Bahia, foi militante do Partido Comunista, deputado federal, poeta e guerrilheiro.

Por Leonardo Fernandes, no Brasil de Fato

Mário Magalhães, biógrafo de Marighela: "A hora é de não calar”

A O2 Filmes iniciou em dezembro as filmagens de Marighella, produção que marca a estreia do ator Wagner Moura na direção de um longa-metragem. A obra, que contará a história do político e revolucionário baiano Carlos Marighella (1911-1969), é uma adaptação da biografia “Marighella: O guerrilheiro que incendiou o mundo”, do jornalista Mário Magalhães.

Marighella e a falta de informação

"Carlos foi, acima de tudo, um verdadeiro brasileiro, que colocaria “no chinelo” qualquer um que se diz patriota hoje em dia".

Luiz Fernando Leal Padulla*

Wagner Moura lançará filme sobre Marighella 

Em sua estreia na direção de um longa, Wagner Moura escolheu contar a história do guerrilheiro baiano Carlos Marighella; o filme vai acompanhar a vida de Marighella entre 1964 e 1969, até sua morte por policiais numa emboscada em São Paulo. Para o ator e agora diretor, o filme deve ser um depoimento contra o golpe e ainda acrescenta: "não tem essa de dizer que o filme é imparcial”

1 2 3 5