Governo Bolsonaro cassa aposentadoria de ex-presidente da Petrobras

“Minha aposentadoria é resultado de 36 anos e dois meses de vínculo com a UFBa e portanto não tem nada a ver com a Petrobras”, respondeu Gabrielli.

A Controladoria-Geral da União (CGU) usou a Lava Jato para cassar a aposentadoria do ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. A informação é da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo.

Gabrielli presidiu a estatal entre 2005 e 2012, durante as gestões Lula e Dilma, e é investigado pelo Tribunal de Contas da União em processo que apura superfaturamento de obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

Na Lava Jato, Gabrielli não foi condenado criminalmente. Mas a decisão da CGU, publicada no Diário Oficial da União de terça (24), indica que o ex-dirigente da estatal “cometeu infrações disciplinares à frente do cargo.”

Em resposta à ação, o ex-presidente da Petrobras diz que vai recorrer contra o que chamou de “absurda decisão de perseguição política”.

E explicou: “Minha aposentadoria é resultado de 36 anos e dois meses de vínculo com a UFBa e portanto não tem nada a ver com a Petrobras. Em relação aos fatos relacionados com a empresa não há qualquer indiciamento criminal e as investigações no âmbito do TCU são ainda investigações sem conclusões. A minha aposentadoria da UFBa é minha ÚNICA fonte de renda e portanto está absurda decisão da CGU é a condenação à morte econômica. Vou lutar até o limite pelos meus direitos”.

Com informações da Folha de S. Paulo e Bahia Notícias