Adiar o Enem para defender o sonho dos estudantes

A manutenção da data do Exame Nacional do Ensino (ENEM) é mais uma demonstração da falta de responsabilidade do governo Bolsonaro.

(Foto: Reprodução)

O país foi atingido em cheio pela Covid-19, as aulas estão suspensas, assim como muitos outros serviços. A vida das pessoas mudou e o governo continua fazendo de conta que nada está acontecendo. São mais de 10 mil mortes, mas e daí?, afirma o presidente.

Daí que a juventude é atingida em cheio pelo descaso e por essa política genocida. Em São Paulo, as mortes pelo Covid-19 aumentaram dez vezes entre crianças e adolescentes desde o inicio de abril, e seis vezes entre pessoas de outras faixas etárias. Isso, porque a doença se espalha para a periferia onde condições de saúde e saneamento são ainda mais precárias. Lavar as mãos e manter distância mínima entre pessoas é a melhor forma de se prevenir. Mas como fazer isso em locais onde a água não chega, o esgoto não é tratado e famílias inteiras convivem em um ou dois cômodos.  

Segundo o Perfil dos Municípios Brasileiros (IBGE, 2018), são quase 35 milhões de brasileiros sem o acesso à água potável. Uma, em cada sete mulheres brasileiras, não tem acesso à agua, assim como 14,3% das crianças e dos adolescentes. E 7,5% das crianças e dos adolescentes têm água em casa, mas não é filtrada ou procedente de fonte segura. As disparidades regionais também se apresentam. Enquanto no Sudeste, 91,25% tem acesso à agua, no Norte esse percentual cai para 57,49%; e no Nordeste, são 73,25%.

Quando se fala de coleta de esgoto. São quase 100 milhões de brasileiros sem acesso. Cerca de 13 milhões de crianças e adolescentes não têm acesso ao saneamento básico. E 3,1% das crianças e dos adolescentes não têm sanitário em casa. Essa é a realidade de milhões de brasileiros que o governo não enxerga.

Além disso, há no Brasil um número alarmante de desempregados e submetidos ao subemprego; a maioria dos estudantes secundaristas não tem a mesa, o celular nem o computador presente no comercial inadmissível do Ministério da Educação.

O que dizer da manutenção do Enem, com milhares de estudantes sem aula e sem condições de estudar? Esses estudantes que não tem acesso à agua teriam computador e internet para o ensino a distância? Não tem. Sua realidade é muito diferente da propaganda governamental.

Pesquisa realizada pela Casa Fluminense, organização que estuda a vida urbana nas periferias, 2,3 milhões de estudantes, quase metade dos inscritos no Enem não tem computador em casa. Esses estudantes, em geral, precisam compartilhar seus quartos, sem ter o ambiente silencioso e dividem seus horários com atividades profissionais, cuidados com a família, filhos e outras atividades necessárias para a sobrevivência.

Fazer o Enem é das poucas esperanças para uma imensa maioria de estudantes melhorar sua vida. Digo por experiência própria. Comecei a trabalhar aos 14 anos como camelô e quero ser a primeira da minha família a cursar o ensino superior. Meus pais não tiveram essa oportunidade. Hoje, são estudantes secundaristas do ensino de jovens e adultos. Como eu, milhares de estudantes depositam no Enem o sonho do acesso à universidade. Por isso, queremos que o Enem seja adiado, para garantir condições mínimas de estudo para todos. As condições de participação dos estudantes das escolas públicas e mais pobres são mais difíceis mesmo em condições normais. A pandemia amplia essas desigualdades sociais.

Por isso, a UBES convoca, para 15 de Maio, o Dia Nacional pelo Adiamento do ENEM e pelo boicote ao Ensino a Distância, com a campanha #AdiaEnem. Não podendo estar nas ruas estaremos nas redes, mobilizados para garantir um direito que é nosso, fundamental para construir nossos sonhos.

Vamos aproveitar para lembrar neste 15 de maio, um ano do Tsunami da Educação, momento histórico para o movimento estudantil que derrotou os cortes e o início do pesadelo dos inimigos da educação.

Nosso movimento é justo e tem o apoio de amplos setores da sociedade. Por isso, mais uma vez seremos vitoriosos.

Estudantes vão às redes pelo #AdiaEnem

Acontece amanhã, 15 de maio, o Ato Virtual da Campanha #AdiaEnem, realizada pela União Brasileira de Estudantes Secundaristas, União Nacional dos Estudantes e Associação Nacional de Pós-Graduandos.

Programação:

10h – Tsunami de comentários nas redes do MEC com a tag #AdiaEnem

14h30 – Live Tsunami da Educação Virtual nas redes da entidade

16h – Live Debate

18h – Tuitaço #AdiaEnem (Com fotos, cartazes e ilustrações com a tag #AdiaEnem

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *