O futebol e a sociedade

Torcer para um time de futebol não significa defender as suas ações institucionais.

Jogador Robinho foi condenado na Itália por estupro l Foto: REUTERS/Paul Hanna (SPAIN) - GM1E48V1JQN01

Eu como palmeirense lembro que teve retaliação a possível contratação do Richarlyson, ex-São Paulo e Atlético Mineiro, “por acharem que era gay”.  Um excelente jogador que sempre jogou muito bem como lateral e meio campista e sofreu durante toda a sua carreira com a homofobia.

Gritos homofóbicos esses que são reverberados toda vez que um goleiro bate o tiro de meta, quando a torcida do Atlético chama a do Cruzeiro de “Maria” e a do Cruzeiro rebate chamando de “Franga”.

As torcidas de Corinthians e Flamengo são ofendidas respectivamente como Gambá e Mulambo, justamente por essência serem torcidas populares, que tem grande popularidade nas periferias das duas maiores capitais do país.

E agora, com o caso do Robinho, condenado, em primeira instância, na Itália por acusação de estupro, uma grande parcela da sociedade continua abraçando o jogador.  

Recentemente Dudu, protagonista do alviverde paulista desde 2015, sofreu um processo por agressão à sua esposa e, até onde eu sei, o caso ainda não houve definição. Para não ter problema com esse caso , o jogador foi transferido rapidamente para o Catar.  Jogador este que tem um histórico de acusação de crimes de agressões a mulher.

Diferentemente  do Robinho, o seu caso ainda não teve definição, não dá para afirmar como culpado, mas os casos se convergem visto que em ambos houve forte campanha em defesa dos jogadores.

É por causa desse tipo de atitude da nossa sociedade que necessitamos de movimentos como o feminista. Para dar espaço à vozes que sempre estão à margem e são vítimas de uma sociedade que privilegia uma pequena parcela.

Mas o meu intuito principal com essa publicação é reafirmar, que não é possível separar esporte da política. A política está em todas as nossas relações. 

Torcer para um time de futebol não significa defender  as suas ações institucionais. Ultimamente só repudio as ações do meu clube do coração, que levantou o título do Brasileiro de 2018 dando palanque ao Bolsonaro, que representa para mim o retrocesso do nosso país. 

Tudo isso que escrevi são cenas tristes do esporte mais popular do Brasil, que é bastante desanimador. Mas o futebol é reflexo da nossa sociedade que precisa mudar. 

Acredito portanto, que através dele é possível discutir os problemas da sociedade, e contrapor os aspectos problemáticos da nossa cultura através da auto-reflexão. Pois o próprio futebol que foi instrumento da ditadura militar na copa de 1970, presenciou momentos de repúdio como a Democracia Corintiana.

As opiniões expostas neste artigo não refletem necessariamente a opinião do Portal Vermelho

Autor

Um comentario para "O futebol e a sociedade"

  1. William Freitas de Oliveira disse:

    Oi meu nome e william eu compreendo seu ponto de vista por um lado ate apoio o feminismo por achar todos temos direitos iguais e por esse mesmo motivo sou contra atitude do santos esporte clube por que eu sei que o Robinho foi condenado por estrupo em 1° instância mais ele pagou né? Ele pagou pelo crime que cometeu? Se sim acredito de ele tenha o direito de reabilitação na sociedade e a sociedade com o mesmo que diz ser anti preconceito esta sendo preconceituosa tanto com o Robinho quanto com o bruno eles erraram sim. Mais todos erramos não somos perfeitos e acho que também nao devemos criticar os defeitos dos outros.
    Obs: somente a minha opinião
    Obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *