A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Jenny Farrell

Nascida em Berlim, vive na Irlanda desde 1985. É professora no Galway Mayo Institute of Technology, especialista em poesia irlandesa e inglesa, bem como na obra de William Shakespeare. Escreve para Culture Matters e Socialist Voice, órgão do Partido Comunista da Irlanda. É amiga e colaboradora do Vermelho em Dublin.
Como Charles Dickens pôs as pessoas comuns no centro da história

Em 2020, completaram-se os 150 anos da despedida da vida do romancista inglês Charles Dickens. Jenny Farrell registra a data nesta bela apresentação de sua obra.

Jenny Farrell: O marxismo no século 21

O capital não sairá do palco da história mundial sem luta. Nascido “pingando da cabeça aos pés, por todos os poros, sangue e sujeira”, não deixará o mundo de outra forma.

Marx, Shakespeare, Rei Lear e o precariado moderno

Jenny Farrell interpreta Shakespeare com uma visão marxista e ilustra com análise da peça “Rei Lear”

Os coveiros em Hamlet: a primeira aparição de trabalhadores no teatro

Shakespeare apresenta uma política profética, em que a justiça baseada na classe e a igualdade humana fundamental são discutidas por aqueles cuja tarefa será “acertar o tempo” pela agitação revolucionária

Beethoven, o compositor da igualdade e da fraternidade

Neste dia 16 completam-se os 250 anos de nascimento de Ludwig van Beethoven. Para comemorar esta data, a autora desse artigo, Jenny Farrell, nos leva a um verdadeiro passeio através do monumento que é a Nona Sinfonia.

Uma estátua em verso para Mary Burns, companheira de Engels

Não pode haver dúvida de que Mary Burns foi fundamental para apresentar Engels às condições horrendas do proletariado de Manchester.