A gripe do Pasquim

Rio de Janeiro, 15 de Setembro de 2020. Pai,Esses dias estava lembrando de uma vez, durante a ditadura militar, quando […]

Fotomontagem: Jaguar

Rio de Janeiro, 15 de Setembro de 2020.

Pai,
Esses dias estava lembrando de uma vez, durante a ditadura militar, quando quase todos os integrantes do Pasquim foram presos de uma vez só.
Não gostaram desta brincadeira com o quadro da independência colocando D. Pedro gritando:
-“EU QUERO MOCOTÓ”
Eles pensaram que prendendo todos, evitariam que saísse uma nova edição do jornal. Conhecida como a gripe do Pasquim, os poucos que ficaram soltos, entre eles você (Henfil) e Millôr, fizeram o jornal sozinhos, assinando pelos que estavam presos.
Isso deixou os militares intrigados.
Não entenderam como o jornal havia sido publicado se todos estavam ali na cadeia.
Dizem que por isso, resolveram soltá-los:
– Do que adianta prender esse pessoal, se mesmo presos o jornal foi pras bancas do mesmo jeito?
Mas o que poucos sabem, é que antes da soltura, o coronel responsável pela prisão, reuniu todos os integrantes presos para tirar satisfação!
Disposto a esclarecer a grande dúvida que estava em sua cabeça, juntou todos os integrantes do Pasquim em uma sala, e perguntou em alto e bom tom:
– Vocês podem me explicar por que a esposa do presidente, Michelle Bolsonaro, recebeu 89 mil do Fabrício Queiroz?
Seguimos perguntando isso até hoje, pai!
Um beijo do seu filho,
Ivan

As opiniões expostas neste artigo não refletem necessariamente a opinião do Portal Vermelho
Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *