A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Tag: cordel

90 anos do Romance do Pavão Misterioso

2013 marca os 90 anos do maior êxito da literatura de cordel brasileira: o Romance do Pavão Misterioso, de autoria de José de Camelo de Melo Resende. A data passaria em branco não fosse o empenho do pesquisador e apologista José Paulo Ribeiro, de Guarabira (PB), e do professor e historiador Vicente Barbosa, idealizador da 1ª Exposição de Cordel de Guarabira. Este texto conta um pouco dessa história começada pelos idos de 1923 (Marco Haurélio).

Por Vicente Barbosa

Meu encontro com o cordel

O escritor e pesquisador Marco Haurélio acaba de publicar o livro Literatura de cordel: do sertão à sala de aula (São Paulo, Paulus), que será lançado na Paulus Livraria Vila Mariana (Rua Dr. Pinto Ferraz, 207, próximo ao metrô Vila Mariana, São Paulo), neste sábado, 18, às 10h30. Prosa Poesia & Arte publica, aqui, dois capítulos do livro, gentilmente cedidos pelo autor.

Por Marco Haurélio

Um canto que lava a alma

Postei, há algum tempo no Facebook, o texto abaixo com um trecho de um bendito cantado por D. Jesuína Pereira Magalhães, de Igaporã, Bahia, nascida em 1915.

Por Marco Haurélio

Cordel conta a saga em defesa do marco regulatório da Comunicação

A peleja comunicacional de Marco regulatório e Conceição Pública na terra sem lei dos coronéis eletrônicos. De Ivan Moraes Filho, com mote de João Brant e contribuições de Ricardo Mello.

Um Assaré de lembranças

Foi em Assaré, Cariri cearense, que vivi os primeiros anos da minha infância. Nasci em Barbalha (por vontade de minha mãe, que é de lá), também no Cariri (e viajava para lá e para o Crato com frequência para visitar a parentada), mas é do Assaré que carrego as mais remotas reminiscências pueris, lá pelos derradeiros anos da década de 80.

Por Artur Pires 

Encontro de Cordel reúne escritores e xilógrafos em Brasília

Escritores e xilógrafos encerraram em Brasília, nesta sexta-feira (15) o 2º Encontro Nordestino de Cordel. Os principais objetivos do evento foram o reconhecimento da literatura popular, criar um sindicato para os poetas populares e discutir a realização da primeira bienal sobre o tema.

Encontro promove reconhecimento da literatura popular

Escritores e xilógrafos participam do 2º Encontro Nordestino de Cordel, no Centro Cultural da Caixa. Os principais objetivos do evento são o reconhecimento da literatura popular, criar um sindicato para os poetas populares e discutir a realização da primeira bienal sobre o tema.

Biblioteca Pública de Olinda recebe exposição de J. Borges

As xilogravuras do artista José Francisco Borges podem ser visitadas a partir da quarta-feira (23) na Biblioteca Pública de Olinda. J.Borges começou como cordelista há 50 anos. Hoje, aos 77, o pernambucano é um dos xilogravuristas mais famosos do Brasil, sendo o autor da arte que aparece em todo o material de divulgação da 8ª Bienal de Arte e Cultura da União Nacional dos Estudantes (UNE). Para a mostra, que faz parte da bienal, foram selecionadas apenas gravuras com personagens femininas.

Nélson Barbosa: Cordel do Ano Novo

Por Nélson Barbosa.

Cordelista canta em versos o legado de Gonzaga

“Sou cantador, violeiro e forrozeiro / Sambista brasileiro e assim bem paraíba / Um operário, milionário sem tostão / Muito amor no coração / Vez por outra sou escriba / Vou por aí relembrando o mestre Lua / Cantarolando nas ruas becos vielas e guetos / Uma sanfona, triangulo e a zambumba / Tocando xaxado, rumba xote e baião nos coretos”.

Cordel retrata vida e obra de Niemeyer

Nesta quinta-feira (6), o Vermelho abre espaço para homenagens feitas ao arquiteto Oscar Niemeyer. Inácio Carvalho, do Vermelho no Ceará, lembrou de um cordel feito para ele, quando completou 100 anos. A obra é do escritor e poeta Gustavo Dourado, que segue abaixo.

Retrato do sertão: 19 de novemdro Dia do Cordelista

Cordel ou "Jornal do Sertão" como foi conhecido durante muito tempo no Nordeste, a arte dos cordelista de se comunicar através da escrita na forma rimada, é comemorada neste dia 19 de novembro. A data foi criada em homenagem ao pioneiro Lenadro Gomes de Barros, nascido no dia 19 de novembro de 1865.

1 2 3