Petrobrás, 66 anos: a história de lutas é arma contra a privatização*

A maior empresa do Brasil está sendo destruída, sucateada para ser privatizada e toda a riqueza descoberta pela categoria petroleira, fruto de muito trabalho físico e intelectual e de muitas vidas que se perderam, entregue a preço vil.

Governo que se desfazer do controle da Petrobras - Foto: Divulgação
Trabalho e vidas que foram capazes de desenvolver toda a tecnologia e muito trabalho para transformar essa empresa na maior entre as maiores desse país. Tudo isso está sendo alvo de assalto e nossa soberania solapada.

Exatamente no dia em que a Petrobrás completa 66 anos, o sentimento é de revolta pelo fato de que tudo está sendo destruído e entregue aos gringos a preço de banana como, por exemplo, a venda de ativos nas áreas terrestres e marítimas e, o mais grave, a entrega do Pré-Sal como o programado leilão da sessão onerosa. Uma riqueza estimada em 3,2 trilhões de reais será doada por 120 bilhões de reais.

Por isso que, vendo toda a tragédia política que o desgoverno Bolsonaro está impondo à nação brasileira, seguimos lutando e honrando a tradição de todos os lutadores da campanha "O petróleo é nosso!", mesmo sendo obrigado a reconhecer que a história de sucesso da Petrobras seja motivo da maldição e da desgraça que se abateu sobre ela por conta da cobiça, ganância e covardia dos entreguistas do passado e do presente.

Mas, mesmo diante de tudo isso, parabenizamos aos verdadeiros brasileiros – homens e mulheres – que no passado e no presente souberam com seu trabalho e com sua garra construir a Petrobrás para torná-la maior todos os dias. Nos campos de petróleo em terra e no mar; nos navios singrando os mares e oceanos; nas sondas de perfuração e de produção; nas refinarias, termoelétricas é todas as subsidiárias; nos terminais, bases operacionais e escritórios e, enfim, em todos os cantos e rincões e na Amazônia; no Brasil e no exterior.

Por tudo isso, nós continuamos do alto da nossa dignidade e da nossa história política, rendendo homenagens a todos os lutadores e reafirmando que "O petróleo tem que ser nosso porque defender a Petrobrás, é defender o Brasil".

*Márcio Dias é militante do PCdoB e diretor do Sindipetro-RN.