Após fala de Guedes, dólar dispara e Banco Central intervém

O dólar fechou em R$ 4,3339 nesta quinta-feira (13), após alcançar a cotação de R$ 4,38 pela manhã

Dólar bate novo recorde

O dólar fechou em R$ 4,3339 nesta quinta-feira (13), após alcançar a cotação de R$ 4,38 pela manhã, quebrando mais uma vez o recorde de maior valor nominal da história.

A moeda norte-americana abriu em alta um dia após as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes. Foi preciso o Banco Central intervir, realizando um leilão de swap cambial, para que o dólar mudasse de rumo e encerrasse em queda de 0,38%.

Ontem, Guedes ofendeu as empregadas domésticas ao defender as “vantagens” do dólar valorizado. “Não tem negócio de câmbio a R$ 1,80. Vamos importar menos, fazer substituição de importações, turismo. [Era] todo mundo indo para a Disneylândia, empregada doméstica indo para a Disneylândia, uma festa danada!”, disse.

Embora de fato favoreça as exportações, o dólar muito valorizado causa problemas no mercado interno. Aumenta a inflação, por exemplo, uma vez que aumenta o custo de bens e matérias-primas importadas. Além disso, o reajuste dos combustíveis é atrelado ao dólar. Com os combustíveis mais caros, aumenta o custo do transporte, impactando os preços de toda a economia. O ideal é que o câmbio esteja em equilíbrio.

Autor