Manuela e Olívia: mulheres, comunistas, pré-candidatas a prefeita

Levantamento do site Universa destaca as duas lideranças do PCdoB

Manuela D'Ávila e Olívia Santana concorrerão a prefeita pelo PCdoB nas eleições 2020

Desde 1932, as mulheres têm o direito de votar – e de se serem eleitas – no Brasil Mas, passados 88 anos da conquista do voto feminino, apenas três das 26 capitais estaduais do País são comandadas por prefeitas: Teresa Surita (MDB-RR), em Boa Vista; Cinthia Ribeiro (PSDB-TO), em Palmas; e Socorro Neri (PSB-AC), em Rio Branco. Ainda assim, Teresa foi a única eleita diretamente para o cargo, em 2016.

Levantamento do site Universa, publicado nesta sexta-feira (6), mostra as chances de o quadro se mudar com as eleições 2020. Em 19 capitais, há mulheres cotadas para concorrer a prefeita. “Até agora, são 30 nomes femininos que aparecem no horizonte político das eleições de outubro para ocupar a prefeitura de uma capital”, diz o site. O número é inferior ao de 2016, quando houve 36 candidatas a prefeita desses municípios.

Agora, entre as pré-candidaturas de 2020, o Universa destaca duas lideranças do PCdoB: Manuela D’Ávila disputará a Prefeitura de Porto Alegre (RS), enquanto Olivia Santana (BA) se candidatará em Salvador (BA). Se forem eleitas em outubro, elas se tornarão as primeiras comunistas a governarem capitais no País. E o cenário, conforme a matéria do Universa, é favorável às duas pré-candidatas.

“A ex-deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) lidera as pesquisas de intenção de voto em Porto Alegre”, lembra o site. “Levantamento realizado pelo Instituto Methodus e divulgado pelo jornal Correio do Povo em dezembro mostrou a vice de Fernando Haddad (PT-SP) nas eleições de 2018 em primeiro lugar, com 16,5% das intenções, seguida pela deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), outra pré-candidata, com 10,2%.”

Na eleição em Salvador – “que tem 80% da população formada por pretos e pardos” –, o Universa frisa a “mobilização da esquerda” para quebrar uma “barreira histórica”: a capital baiana jamais teve um prefeito negro. Tudo pode mudar em 2020, graças às “mulheres negras com nomes de prestígio” que devem ir à disputa. “Pelo PCdoB, a pré-candidata é a deputada estadual Olivia Santana, também militante pelos direitos das mulheres negras e fundadora da Unegro (União de Negros Pela Igualdade), entidade nacional com a pauta da igualdade racial, de gênero e de classe”, informa o site.

O Partido Comunista do Brasil já elegeu mulheres para o Executivo de cidades médias e grandes, com destaque para os dois mandatos de Luciana Santos (2001-2004 e 2005-2008) à frente da Prefeitura de Olinda (PE). Em capitais, Nádia Campeão teve o cargo mais notório do PCdoB até hoje – ela foi vice-prefeita de São Paulo de 2013-2016, na gestão Fernando Haddad (PT). Para 2020, além de Olívia e Manuela, também estão previstas as pré-candidaturas de outras duas comunistas em capitais: Janaína Deitos, em Florianópolis (SC), e Germana Pires, em Palmas.

A preparação das atuais pré-candidatas comunistas às câmaras municipais e às prefeituras é um dos temas a serem debatidos na 3° Conferência Nacional do PCdoB sobre Emancipação da Mulher, de 22 a 24 de maio, em São Paulo. Segundo Angela Albino, secretária nacional da Mulher do Partido, as etapas regionais da Conferência precisam servir, entre outros fins, “para que mais mulheres se entusiasmem para vir para o PCdoB e para a vida política. Não tem democracia se não tiver mulheres na política”.

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *