Seis estados já têm retorno de aulas presenciais no Brasil

Amazonas saiu na frente e retomou atividades presenciais em agosto, assim como PA, PE, RS, MG e MT. RJ e ES voltam na próxima semana. Outras 19 unidades da federação mantém indefinição sobre o retorno.

Estudantes em Manaus. Altemar Alcantara.Semcom

Com a redução da incidência e mortalidade pela covid-19 em parte dos estados brasileiros, a discussão sobre o retorno das aulas presenciais ganha força. O Amazonas saiu na frente e iniciou as atividades presenciais nas escolas ainda em agosto. Mas em diversos estados a retomada ainda gera polêmica.

Além do Amazonas, o governo do Pará autorizou o início das aulas em 1º de setembro. Em Minas Gerais, cursos de pós-graduação puderam reiniciar aulas presenciais no sábado (5). No Rio Grande do Sul e em Pernambuco, as unidades educacionais podem funcionar a partir desta semana. No Espírito Santo, a data fixada foi a próxima segunda-feira (14). As aulas na rede privada do Rio de Janeiro também têm início previsto para a semana que vem. Na rede pública do Rio, no entanto, a previsão é de retomada em 5 de outubro.

No Distrito Federal, o governo anunciou a volta às aulas para o início de agosto, mas recuou e ainda não definiu uma data.  Em diversas outras unidades da Federação os governos prorrogaram a suspensão das aulas presenciais. É o caso do Amapá e do Tocantins, até 30 de setembro; e de Rondônia, até 3 de novembro;

As aulas continuam suspensas, sem prazo para retorno em estados como Roraima, Bahia, Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte, Sergipe, Paraná e Santa Catarina. No Maranhão, o governo promoveu uma consulta sobre o tema, mas ainda não divulgou os resultados. No Piauí, o governo iniciou um debate com a comunidade sobre a volta do 3º ano do ensino médio.

Estados onde as aulas presenciais continuam suspensas, crianças precisam se adaptar ao ensino à distância. foto Jorge Araujo/Fotos Publicas

Diversos estados reclassificaram regiões e ou municípios. Em Minas Gerais, pela primeira vez uma região (a Norte) entrou na última fase, com maiores permissões de funcionamento. Em Sergipe o estado avançou da bandeira Amarela para a Verde. Em Pernambuco, os municípios da Região Metropolitana e da Zona da Mata foram atualizadas para a fase oito do plano de reabertura, que tem 11 etapas.

Algumas Unidades da Federação lançaram programas econômicos de retomada. No Rio de Janeiro, foi criado o site Turismo Consciente para estimular o setor. Em Goiás, a secretaria da Retomada foi instituída para coordenar as ações governamentais. O Centro Cultural Niemeyer foi reaberto. No Paraná, o Parque Vila Velha, em Ponta Grossa, também voltou a receber visitantes no início do mês.

Região Norte

Acre

AC mantém suspensão das aulas, mesmo com baixa mortalidade

Amazonas

Amazonas mantém escolas abertas, mesmo observando oscilação de mortes para cima.

Amapá

Aulas suspensas no Amapá, mesmo com baixa mortalidade

Pará

Pará reabriu escolas com curva estável em baixo número de mortes.

Rondônia

Rondônia não tem prazo para retomada de aulas presenciais, devido à oscilação de mortes

Roraima

Roraima mantém escolas fechadas apesar da baixa mortalidade

Tocantins

Curva em ascenso no Tocantins não permite reabertura de escolas


Região Nordeste

Alagoas

Alagoas tem queda consistente de mortes e escolas fechadas

Ceará

Ceará não definiu retorno apesar da curva em descenso, mas média de 30 mortes diárias

Maranhão

Maranhão consulta população sobre volta às aulas com curva em descenso

Paraíba

Paraíba continua sem aulas apesar da curva em queda

Pernambuco

Curva em queda em Pernambuco serviu de justificativa para retorno de aulas nesta semana

Piauí

Piauí também fez consulta a população devido à leve queda na curva

Rio Grande do Norte

Em franco descenso de mortes, Rio Grande do Norte ainda não abriu escolas

Sergipe

Sergipe também não voltou, mesmo com queda vertiginosa dos óbitos


Região Centro-Oeste

Distrito Federal

DF ainda apresenta alto contágio e indefinição sobre volta às aulas.

Goiás

Curva no pico não permite que Goiás defina volta às aulas

Mato Grosso

Somente crianças de escolas privadas voltaram às aulas em Mato Grosso, que ainda tem alta de mortes, com mais de 20 casos diários.

Mato Grosso do Sul

Mato Grosso do Sul ainda está no pico da curva com oscilação para baixo e sem aulas.


Região Sudeste

Espírito Santo

Com baixa nos óbitos, Espírito Santo pensa em voltar na próxima semana com aulas

Minas Gerais

Só a pós-graduação voltou às aulas em Minas Gerais, onde as mortes estão entre 60 a 70 por dia na média

São Paulo

O Estado de São Paulo ainda segura o retorno das aulas conforme a curva mantém estabilidade em cerca de 200 mortes diárias

Rio de Janeiro

Com média de 70 mortes diárias, Rio de Janeiro retorna às aulas na próxima semana


Região Sul

Paraná

Ainda estabilizado no pico de mortes, Paraná receia reabrir escolas

Rio Grande do Sul

Rio Grande do Sul retomou aulas presenciais esta semana, apesar da estabilidade no pico de cerca de 50 mortes diárias

Santa Catarina

Com curva em queda e cerca de 20 óbitos diários, Santa Catarina não definiu retorno às aulas

Com informações da Agência Brasil

Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.