Projeto de Nação – Na Revolução de 30 e nos dias atuais

Evento promovido pela FMG vai discutir os desdobramentos da Revolução de 30. A atividade será transmitida pela TV Grabois, canal da FMG no Youtube, neste sábado, 03/10, 17h. Para a discussão foram convidados o presidente da FMG, Renato Rabelo, o professor da UFGRS Pedro Dutra Fonseca, e o professor da FEMARGS, o desembargador do TRF-4 Luis Alberto de Vargas, com mediação da professora da UFSM Gláucia Vieira Ramos Konrad.

Há exatos noventa anos, no dia três de outubro de 1930, após as eleições fraudadas de março, o assassinato de João Pessoa e toda a carga da República Velha, foi iniciado um movimento civil e militar que poria fim na Primeira República. Iniciava um largo processo de transformações do Estado e de desenvolvimento da Nação. Seguiu um rumo de desenvolvimento: industrializou o país e estabeleceu uma nova etapa em sua história. Este é o marco do que ficou conhecida no Brasil como Revolução de 1930.

Se a Independência, a Abolição da escravidão e a proclamação da República podem ser considerados um primeiro avanço civilizacional para o Brasil, a revolução de 1930 e suas aberturas desenvolvimentistas é um segundo salto civilizacional.

Num ziguezague com idas e vindas essas ideias de progresso que foram ganhando parcelas de membros do Estado e de vários setores da sociedade tiveram ora apoio ora pesada oposição, tanto de parcelas internas como externas do país. Os setores dominantes, em conciliábulo, com os interesses internacionais de lesa-pátria impediram, às vezes por armas, o desenvolvimento nacional.

Após o fim da ditadura militar e a promulgação da Constituição de 1988 abriu-se um novo caminho para o desenvolvimento no país com democracia, crescimento econômico e distribuição de renda – raramente os três aspectos juntos. Com o golpe de 2016, o avanço de forças da extrema direita e a vitória de Bolsonaro a nação toma rumos de enfraquecimento e o desenvolvimento, anulado, coloca em cheque o futuro do país.

Para debater essas questões:

Pedro Dutra Fonseca – É Professor do Departamento de Ciências Econômicas e Relações Internacionais da UFRGS. Tem diversos livros publicados, sendo um especialista na Revolução de 30 e no projeto varguista. E tratará do Projeto Nacional na Revolução de 30

Luis Alberto de Vargas – É Professor da FEMARGS e da Escola Trabalho e Pensamento Crítico, membro da Associação Juízes para a Democracia (AJD) e Desembargador do TRT-IV. E fará considerações sobre A Revolução de 30 e os trabalhadores.

Renato Rabelo – Foi presidente do Partido Comunista do Brasil entre 2001 e 2013. Autor do livro Rumos e Ideias onde mostra a evolução do pensamento tático e estratégico de parte importante da esquerda brasileira. Atualmente preside a Fundação Maurício Grabois. Abordará Dependência e Nacional-Desenvolvimentismo

Medição – Professora Gláucia Vieira Ramos Konrad – Historiadora, Arquivista, Professora nos Programas de Pós-Graduação em História (Mestrado e Doutorado) e no Programa de Pós-Graduação Profissional em Patrimônio Cultural (Mestrado) da Universidade Federal de Santa Maria

O evento é uma realização Fundação Maurício Grabois – ILEA/UFRGS – IFHC/UFRGS – FCE/UFRGS – IHGRGS – CEBRAPAZ – SOCECON – SINDECON – EFP CASTRO ALVES (UJS) – AJD – ADJC – ARI – MEMORIAL DA ALERGS

Fonte: Portal Grabois

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.