Lula e Ciro Gomes conversam e acertam trégua

Os dois líderes da esquerda conversaram sobre a conjuntura política, a pandemia e o governo Bolsonaro

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), sem diálogo entre si desde 2018, estiveram reunidos há quase dois meses e selaram as pazes, segundo informa matéria do jornal O Globo desta quinta-feira (29). O gesto pode significar a retomada do diálogo mais produtivo entre os dois líderes da esquerda brasileira e uma reaproximação entre seus partidos de esquerda de olho na disputa presidencial de 2022

A conversa teria sido intermediado pelo governador do Ceará, Camilo Santana, filiado ao PT e aliado dos irmãos Ferreira Gomes em seu estado. As tratativas para viabilizar a conversa duraram mais de um mês e o objetivo imediato seria unir PT e PDT com vistas à disputa da prefeitura de Fortaleza para derrotar o candidato bolsonarista Wagner Sousa (PROS). A aliança não vingou, mas a conversa evoluiu bem sobre as consequências da pandemia da Covid-19 na conjuntura nacional e o governo de Jair Bolsonaro.

A conversa, ocorrida na sede do Instituto Lula, em São Paulo, durou uma tarde inteira e, segundo O Globo, Ciro teria falado de suas mágoas com o PT, enquanto Lula lembrou os ataques do ex-ministro ao partido.

Desde o encontro, Ciro e Lula mudaram o tom ao se referirem um ao outro e cessaram os ataques e alfinetadas. Os dois tiveram uma relação próxima, principalmente no primeiro governo do ex-presidente, quando o hoje pedetista foi ministro da Integração Nacional. O ex-presidente costumava exaltar a postura leal de Gomes durante a chamada crise do mensalão, em 2005.

Com o correr dos anos, mantiveram o contato, apesar de alguns ataques pontuais. O clima entre eles, porém, se deteriorou ao longo da eleição de 2018. Os petistas chegaram a oferecer a Ciro a possibilidade ser vice de Lula para depois que ocorresse o indeferimento — desta forma, o pedetista assumiria a cabeça da chapa. Ciro classificou a oferta, entre outros termos, de “aberração” e “papelão” e disse que não aceitaria ser um “vice de araque”.

Lula acabou não sendo candidato, substituído por Fernando Haddad, que teve Manuela D’Ávila (PCdoB) como vice, e Ciro Gomes também manteve seu nome na disputa presidencial. A campanha foi marcada por outros episódios tensos entre os dois maiores partidos de esquerda o que acabou por inviabilizar o apoio de Ciro a Haddad no segundo turno e culminando com a vitória de Bolsonaro.  Desde então, o recente encontro é o primeiro gesto de harmonia entre os dois e pode ter uma grande importância para unir as forças progressistas e democráticas.

Em setembro, já depois da conversa, Lula colocou o pedetista na lista de nomes qualificados para disputar a Presidência. Também considerou “pontuais” as diferenças entre eles e disse ter respeito por Ciro. Desde o encontro, o ex-presidenciável do PDT, por sua vez, não fez mais acusações pesadas contra o ex-presidente e o PT.

Na atual eleição municipal, o PT apoia 173 candidatos a prefeito do PDT, que por sua vez está em chapas encabeçadas por 134 petistas. Essas alianças, porém, não se dão em nenhuma das capitais.

Com informações de O Globo

Autor

2 comentários para "Lula e Ciro Gomes conversam e acertam trégua"

  1. Irles Carvalho disse:

    Eu espero que todos compreendam que as alianças não são feitas para obter um único objetivo, como ganhar as eleições. As alianças são parcerias para percorrer caminhos que podem ser longos e espinhosos, que levam ou não ao poder no curto prazo. Trata-se de CRESCER DE FORMA UNIDA, COMO ESQUERDA, DE SER UMA OPCAO MAIOR E MELHOR AOS OLHOS DO NOSSO POVO, antes, durante e depois de qualquer processo eleitoral.

  2. Joaquim Tavares de moura disse:

    Boa noite eu joaquim tavares de moura conhecido no goias por mourao aprovei e fiz o que podia no governo dos partidos de esquerda liderado pelo pt concidero que foi o melhor momento para o povo a lideranca do presidente lula mais acho que para retomarmo o comando do pais so com uma alianca ampla em uma composicao dos partidos de esquerda e uma lideranca nova como o guilerme Boulos e flavio Dino e os demais partidos a poiando so assim voltaremos oselhores dias para o povo brasileiros dando esperanca este povo sofrido e assim .espero que os senhores pelomenos leiam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *