País tem mortes por falta de oxigênio no interior do Amazonas e Pará

Sete pacientes internados no Hospital Regional de Coari (AM) morreram por asfixia, além de sete pessoas da mesma família em Faro (PA).

Cidadãos brasileiros voltaram a morrer por falta de oxigênio nesta terça-feira (19), no Amazonas, em crise desde a última semana, e no Pará. Sete pacientes internados com a Covid-19 no Hospital Regional de Coari, no interior do Amazonas, morreram por asfixia, segundo a prefeitura do município.

Já a prefeitura de Faro, cidade do Pará que fica na divisa com o Amazonas, informou sete mortes nas últimas 24 horas pela mesma causa. As pessoas eram da mesma família e viviam na comunidade de Nova Maracanã, na zona rural de Faro.

Segundo a nota da prefeitura de Coari, a cidade deveria ter recebido 40 cilindros de oxigênio às 18h de segunda-feira (18), mas o voo que levaria o insumo foi direto para o município de Tefé (AM) e ficou impossibilitado de retornar, já que, no momento, o aeroporto da cidade não opera voos noturnos. Os cilindros chegaram a Coari apenas às 7h de hoje.

A prefeitura disse na nota que a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas está lidando com a saúde do interior de “forma irresponsável”. “Desde a semana passada, em torno de 200 cilindros do Hospital Regional de Coari estão retidos pelo patrimônio da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas. A maioria aguardando abastecimento, enquanto a outra parte foi distribuída para as Unidades Básicas de Saúde da capital”, diz a nota.

A Secretaria de Saúde do Amazonas disse, em nota, que, ontem (18), por um atraso por parte da empresa White Martins em liberar os cilindros que seriam enviados de Manaus para Coari não foi possível levar o oxigênio em voo direto, considerando que o aeroporto da cidade não opera à noite. Os 40 cilindros foram enviados então em voo para Tefé, para que de lá a carga fosse transportada de lancha para Coari.

“A transferência dos cilindros de lancha para Coari foi alinhada com a cooperação da prefeitura de Tefé e, de acordo com a Secretaria Executiva Adjunta do Interior da SES-AM, houve um novo atraso na saída da lancha para Coari, o que contribuiu também para que a chegada do material não ocorresse no tempo necessário”, diz a nota da pasta.

Já no município de Faro, autoridades locais relataram ao site El País que há um colapso na área da saúde com a falta de oxigênio, leitos e medicamentos para os pacientes em tratamento da Covid-19. Na matéria, publicada na noite de segunda-feira (18), o secretário de Governo da Prefeitura de Faro, Thiago Azevedo, afirmou que a reserva de oxigênio estava “zerada” e que 37 pacientes internados dividiam 11 cilindros de oxigênio.

Com informações da Agência Brasil, G1 e El País

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *