A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Carolina Maria Ruy

Jornalista, pesquisadora e coordenadora do Centro de Memória Sindical (CMS). É autora do livro O Mundo do Trabalho no Cinema.
Do Encouraçado a Daniel Blake, 91 anos de filmes sobre trabalhadores

Não há arma melhor para combater a alienação do que o conhecimento organizado e, sob sua asa, um dos seus mais nobres subprodutos: a cultura

Carolina Ruy: Benedito João dos Santos Silva Beleléu, Vulgo Nego Dito

Essencial em Itamar era sua condição de homem bruto e marginal na concretude da cidade

Reflexões sobre José Carlos Ruy, meu pai

Ter sido educada por ele, exposta a este ambiente intelectual e ao mesmo tempo, à realidade de uma família operária e trabalhadora, foi um grande privilégio para mim e para minhas irmãs Luciana e Mariana. Isso nos deu uma formação política e cultural desde sempre. Plantou em nossa consciência uma visão crítica da sociedade e a paixão pela arte, pelas ciências e pela história.

Mulheres e luta de classes: o exemplo das trabalhadoras em telecomunicações

Palestra proferida no evento “Conversa entre mulheres 3” realizado pelo Sintetel-SP em 8 de março de 2021.

Os Companheiros, um filme sobre a organização dos trabalhadores

As massas precisam de um intelectual, que venha de fora, sem experiência com o trabalho na fábrica, para aprender a se organizar?

John Lennon canta: Power To The People

Poder às Pessoas, clama John Lennon na música manifesto de 1971

Revolução de 30: Aos 90 anos ainda é símbolo de nossa modernidade

É inegável que entre 1930 e 1954 o Brasil viveu um grande avanço. Um avanço que ainda hoje, 90 anos depois, correntes políticas teimam em tentar diminuir.

Getúlio Vargas, comandou a modernização industrial e urbana do país

No dia 24 de agosto de 1954, há 66 anos, o presidente Getúlio Vargas se suicidou. Em seus últimos dias de vida ele foi atormentado por uma grande pressão por parte do exército, do congresso nacional e da imprensa. Seu suicídio causou comoção popular repercutindo nas forças políticas da época. Segundo historiadores, com esta atitude drástica ele conseguiu adiar por dez anos um golpe militar que poderia eclodir em 1954.

A Folha amarelou

A Folha iniciou sua campanha “Amarelo pela democracia”, copiando a cor usada na campanha das Diretas Já de 1983-1984.

Cazuza, morto há 30 anos, exprimiu o sentimento de sua geração

Cazuza foi leve, alegre, intenso, denso e profundo, até o dia de sua morte, há exatamente três décadas. Suas ideias, sob o governo Bolsonaro, estão vivíssimas.

Seis filmes para refletir sobre a identidade nacional

Não se trata de uma lista dos melhores ou mais representativos filmes nacionais. Trata-se, sim, de sugerir bons filmes que falam sobre a alma sobretudo dos trabalhadores brasileiros

A face humana de Lênin, por Carolina Maria Ruy

“As fotos de Lenin oferecem uma dimensão mais íntima e pessoal do líder, reforçando seu caráter afável e risonho. A nova visão aberta aqui não diminui sua autoridade e importância”

1 2