A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Tag: bomba atômica

China está a ponto de entrar no clube das potências nucleares

A China já conta com mísseis nucleares que são capazes de alcançar objetivos a uma distância de 14.000 km. Agora, o gigante asiático busca como tornar seu arsenal atômico invulnerável perante um primeiro ataque.

Em operação secreta, EUA deslocam bomba atômica para a Itália

Os resultados das inspeções periódicas para controlar como as armas nucleares estadunidenses são administradas, mantidas e supervisionadas serão doravante classificados como top secret. Foi o que decidiu o Pentágno, ao declarar que de tal modo “impede-se que os adversários saibam muito sobre a vulnerabilidade das armas nucleares dos EUA”. 

Por Manlio Dinucci*

Quando as palavras guardam distância entre intenção e gesto

Nesta sexta-feira (27) o presidente dos EUA, Barack Obama, fez uma visita histórica a Hiroshima, cidade japonesa que há 71 anos foi destruída por uma bomba atômica lançada pelos estadunidenses, no fim da Segunda Guerra Mundial. É a primeira vez que um presidente norte-americano em exercício visita o local.

Coréia Popular se orgulha dos teste com bomba de hidrogênio

Após testes com bomba de hidrogênio a República Democrática Popular da Coréia (RPDC), um oficial da chancelaria “fez notar a presença chinesa à embaixada norte-coreana em Pequim”, afirma a porta-voz do referido ministério, Hua Chunying. A bomba chamada pela Córeia Democrática de orgulho nacional, é muitas vezes mais potentes que uma bomba nuclear.

Há 70 anos, EUA lançava bomba atômica em Nagasaki

Três dias depois de Hiroshima, Nagasaki  relembra neste domingo (9), o ataque nuclear dos Estados Unidos que arrasou a cidade japonesa e matou cerca de 74.000 pessoas há 70 anos.

Urariano Mota: José Dirceu, Alice no país das maravilhas e Hiroshima

O jornalista e escritor pernambucano Urariano Mota, em sua coluna Prosa, Poesia e Política, faz uma reflexão sobre a atual crise política que vivemos e quais as verdadeiras intenções com a nova prisão de José Dirceu. Na oportunidade, ele também fala sobre acontecimentos que ficaram marcados na história nesta primeira semana de agosto, como os 70 anos das bombas atômicas lançadas pelos EUA no Japão.

O armamento nuclear é e será o maior perigo enquanto existir

No momento culminante da Guerra Fria, o arsenal mundial de armas nucleares, medido pelo potencial explosivo, era estimado em três milhões de bombas iguais à que destruiu Hiroxima em 1945.

Por Risto Isomäki, na agência IPS

Hiroshima marca 69 anos desde a devastação nuclear causada pelos EUA

A cidade de Hiroshima, no Japão, marca os 69 anos desde o devastador ataque dos Estados Unidos com a bomba nuclear, nesta quarta-feira (6). O evento é lembrado como denúncia do belicismo imperialista e do crime contra a humanidade. A presidenta do Conselho Mundial da Paz e do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) Socorro Gomes, que deu declarações ao Vermelho, tem sido uma das vozes firmes no apelo à memória como forma de evitar a repetição devastadora.

EUA quase detonou bomba nuclear na Carolina do Norte em 1961

A Força Aérea dos Estados Unidos esteve a ponto de detonar, acidentalmente, uma bomba nuclear de quatro megatons sobre o estado da Carolina do Norte, segundo documentos desclassificados divulgados neste sábado (21) pelo jornal britânico The Guardian.

 Albano Nunes: Hiroshima; um crime friamente calculado e dirigido

Ao lançar a bomba atômica sobre as populações das cidades japonesas de Hiroshima, a 6 de agosto de 1945, e de Nagasaki, três dias depois, o imperialismo norte-americano cometeu um dos maiores crimes que a história regista. Trata-se de uma tragédia que não pode cair no esquecimento.

Por Albano Nunes*, no Jornal Avante!

Ban Ki-Moon apela para segurança contra armas nucleares

O secretário-general da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, reiterou nesta terça-feira (6), que a verdadeira segurança e o bem-estar dos povos não se alcança com a destruição militar. A afirmação foi feita por ocasião do 68º aniversário dos ataques com a bomba atômica, lançada pelos Estados Unidos, em 1945, contra as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki.

Bombardeios de Hiroshima completam 68 anos; EUA continuam impunes

Na marca dos 68 anos após o primeiro dos bombardeios nucleares das cidades japonesas Hiroshima e Nagasaki, a presidenta do Conselho Mundial da Paz (CMP) e do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz), Socorro Gomes, em declarações ao Vermelho, diz que a ação foi “um crime de lesa-humanidade”, e que é injustificável os Estados Unidos ainda não terem sido julgados por ela.

1 2