Sandra Helena de Souza: Sobre nossa “derrota” de hoje

Por *Sandra Helena de Souza

Não vai ter golpe!

Eu não iria mais falar hoje depois do desabamento pós-voto Bolsonaro, como falei. Mas [email protected] jovens [email protected] vieram a mim em privado que me senti obrigada a falar-lhes, certamente obrigada pela minha militância ostensiva, nas redes e fora dela, pela democracia.

No meu último artigo, 'O Golpe Desrecalcado' eu já antecipei um possível sofrimento da geração de vocês ao falar do meu com a derrota da emenda das Diretas. Eu voltei chorando pra casa àquela ocasião. Hoje eu realmente voltei a chorar, convulsivamente, quando aquele crápula mencionou a tortura de nossa presidenta. Mas voltei pra casa com outro sentimento.

[email protected] viram essa votação. Ela nem precisa de adjetivos que parecem absolutamente supérfluos. É certo que o governo demonstrou uma péssima capacidade de articulação pelos votos, e nem Lula foi suficiente. Mas, na verdade, isso me parece positivo, ao fim e ao cabo. Já pensaram se tivéssemos conseguido convencer esses deputados?

Para isso tenho que lhes falar um pouco mais de mim. Em 92, quando do impeachment de Collor, eu que me posicionava contrária, acompanhado minha intuição e a orientação brizolista, assisti sem paixão a sessão que sucedeu a renúncia do presidente. O circo de horrores não diferiu inteiramente do de hoje, salvo pela ostensiva presença de Deus nessa nova empreitada. Vendo aquilo eu só podia dizer a mim mesma: isso é uma farsa.

O tempo mostrou a verdade. Ele sempre mostra. E é nisso que me apego. Como Dilma. Vocês leram a entrevista dela? Se não, leiam.

Hoje vimos de que matéria somos feitos, para além de nossas vontades particulares. Houve quem dissesse que estava cansado de um país polarizado e conflagrado. Eu digo a vocês: agora sim entramos no ponto de ebulição. Agora, sim. Agora não valerão memes nem posers. Agora será a hora de atitudes reais, como as que vimos hoje na Câmara. Quais serão as nossas é o que teremos de decidir.

Tem muita gente que vem de longe e sabe que a luta é dura. Para vocês que chegam agora, cheguem. CHEGUEM. Amanhã será um dia de deboches. Mas nós estamos tão certos que é quase tedioso assinalar isso depois da sessão.

Não desanimem e fiquem [email protected] O que aconteceu hoje é vergonhoso. Qualquer pessoa de bom senso sabe disso. Essa sessão foi elucidativa. Quem não sabia onde estava, deve ter se encontrado.

Fiquem firmes, [email protected] A luta continua. E estamos [email protected] como nunca antes. Pensei que hoje deixaria de postar minhas hasthags. Mas a vida pede insistência. O tempo pede mais. Estamos a postos, né?

#BarraroGolpe
#EmdefesadaDemocracia


*Sandra Helena de Souza é professora universitária e membro do Instituto Latino-Americano de Estudos em Política, Direito e Democracia

Opiniões aqui expressas não refletem necessariamente as opiniões do site.