Janones deixa candidatura, dá apoio a Lula e prevê vitória no 1º turno

Deputado do Avante tem hoje “mais de 8 milhões de seguidores no Facebook, 2 milhões no Instagram, 301 mil no TikTok e 149 mil no Twitter. No Facebook, ele tem mais seguidores que Lula, que tem 4,9 milhões”

O deputado federal André Janones (Avante-MG) não será mais candidato à Presidência da República. Após se reunir com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em São Paulo, na tarde desta quinta-feira (4), o parlamentar anunciou que abre mão da pré-candidatura para apoiar Lula e lutar pela derrota do o atual presidente, Jair Bolsonaro, já no primeiro turno.

Em troca da adesão, Janones cobrou de Lula compromisso com uma renda mínima permanente de R$ 600, além de mais investimentos para a saúde mental no SUS (Sistema Único de Saúde). Lula, por sua vez, convidou Janones a integrar a equipe de redes da campanha. O ex-presidente ainda frisou a importância de o Avante fazer parte, formalmente, da coligação Vamos Juntos pelo Brasil, que já conta com sete partidos.

Fenômeno nas redes sociais, o deputado do Avante prevê que uma boa estratégia digital deve garantir a vitória de Lula já no primeiro turno, em 2 de outubro. “Eu consigo atrair as pessoas e gero engajamento porque o público apoia minhas ideias, mas não cresço nas pesquisas porque as pessoas entendem que não tenho chance de ganhar. Com Lula, essa barreira não existiria”, declarou Janones ao O Globo.

Levantamento da BBC Brasil aponta que o deputado tem hoje “mais de 8 milhões de seguidores no Facebook, 2 milhões no Instagram, 301 mil no TikTok e 149 mil no Twitter. No Facebook, ele tem mais seguidores que Lula, que tem 4,9 milhões”. Para o Janones, “turbinar o desempenho” de Lula nessas plataformas “pode ajudá-lo a conseguir a vitória no primeiro turno”.

É preciso, porém, segmentar a campanha digital, para atingir e mobilizar mais pessoas. “Cada rede tem a sua linguagem e seu algoritmo. Existe um formato próprio da plataforma, acompanhado de um linguajar, horários e ângulos específicos”, diz. “Não funciona replicar um post do Facebook no Twitter, Instagram, TikTok e Kwai”.

Na opinião de Felipe Nunes, diretor da Quaest Pesquisa e Consultoria, a expertise e a força do deputado do Avante nas redes tem potencial, sim, para decidir a eleição. “Janones é o símbolo de uma nova geração de políticos forjados na popularidade digital”, resume. A seu ver, como Lula busca “uma narrativa de frente ampla contra Bolsonaro” numa espécie de “eleição plebiscitária”, a adesão de Janones é mais um trunfo para o ex-presidente.

Autor