Diplomata diz que Cuba trabalha para apagar o incêndio “devastador”

O embaixador cubano, Adolfo Curbelo Castellanos, concedeu uma entrevista ao Portal Vermelho. Falou como o país enfrenta o incêndio que destrói tanques de petróleo

Foto: Reprodução/Twitter/DelegacionOTU_may

O veterano diplomata (59 anos), já representou Cuba na União Soviética, Federação Russa, Jamaica, Panamá, Paraguai e Chile. O embaixador destaca que “este é o maior e mais complexo incêndio da história de Cuba”, mas que desde o início, “se trabalha com grande intensidade e heroísmo” no combate ao fogo. O embaixador valorizou a solidariedade internacional: “Cuba agradeceu e agradece as inúmeras mensagens de apoio e cada oferta que aceitou e recebeu com gratidão”.

Portal Vermelho – Como está a situação agora em Matanzas?

Adolfo Curbelo – O fogo ainda é de grandes proporções mas hoje estamos em melhores condições do que ontem. Este é o maior e mais complexo incêndio da história de Cuba.

Desde sexta-feira, 5 de agosto, quando uma descarga elétrica atingiu o tanque e provocou o incêndio, se trabalha com grande intensidade e heroísmo. Houve fortes explosões, mais de uma centena de feridos e lesionados. Outras 14 pessoas continuam desaparecidas. Os bombeiros de Matanzas e de toda Cuba, juntamente com técnicos e pilotos, estão no local junto com as mais altas autoridades governamentais. Brigadas médicas de diferentes províncias cubanas viajaram a Matanzas para tratar os feridos e proteger a saúde da população. Todo o país está trabalhando para extinguir o fogo devastador. Ações defensivas foram realizadas para proteger as edificações da base de superpetroleiros que cercam o local do incidente. Hoje foi possível chegar ao epicentro e o fogo está sendo combatido com meios técnicos e equipamentos adequados. A ideia dos nossos bombeiros é acabar hoje com os focos para arrefecer a zona, o que será um processo que vai demorar dias. Muito perto dos tanques de óleo está uma base para geradores elétricos e tanques de gasolina que conseguimos proteger e não foram danificados. Tampouco foi danificada uma importante Usina Termelétrica “Antonio Guiteras”. Muito trabalho duro foi feito, mas foi assim que se consegui deter a destruição total da base de superpetroleiros. A população da cidade de Matanzas está segura.

Embaixador Adolfo Curbelo diz que toda solidariedade é bem vinda.

Portal Vermelho – Existe alguma relação entre esta tragédia e o bloqueio ilegal promovido pelos EUA?

Adolfo Curbelo – Durante 60 anos, toda a vida econômica da nação foi marcada pelos efeitos do bloqueio. É uma política genocida destinada a causar fome e desespero e provocar a derrubada da Revolução.

As leis extraterritoriais dos EUA e outras disposições executivas de seu governo têm um forte impacto negativo no comércio e nas finanças do país. Entre outros, implica que Cuba está proibida de usar o dólar em transações financeiras internacionais. Essas disposições do bloqueio reduzem a disponibilidade financeira e agravam o abastecimento de hidrocarbonetos, alimentos, remédios, meios de transporte e outros suprimentos, o que tem um forte impacto na vida cotidiana dos cubanos.

Não se pode esquecer que durante a presidência de Donald Trump foram adotadas 243 medidas para reforçar o bloqueio. Os EUA transformaram a pandemia de Covid 19 em uma aliada do bloqueio, para aumentar seu efeito e o sofrimento da população cubana. A maioria dessas medidas continua em vigor. O efeito combinado do bloqueio e da pandemia causou uma queda de 13% no PIB entre setembro de 2020 e dezembro de 2021.

Os últimos navios de combustível que Cuba conseguiu adquirir custam cerca de 64 ou 67 milhões de dólares e trazem cerca de 40.000 toneladas, o que é suficiente para 10 dias de consumo. Essas compras custam a Cuba quase 30% mais do que o estabelecido no mercado internacional, já que devem ser trazidas de mercados distantes devido ao bloqueio dos Estados Unidos. Portanto, este incêndio na base de superpetroleiros em Matanzas adiciona mais danos à nossa economia.

Somente em 2019, um total de 53 navios e 27 companhias de navegação que descarregaram petróleo na base de superpetroleiros em Matanzas foram sancionados pelo bloqueio dos Estados Unidos contra Cuba.

Portal Vermelho – Como o movimento brasileiro de solidariedade com Cuba pode ajudar neste momento?

Adolfo Curbelo – Cuba valoriza e aprecia profundamente a solidariedade internacional, porque também faz parte da luta para romper o bloqueio e a agressão contra nosso país. São incontáveis as demonstrações de solidariedade recebidas. O que foi alcançado hoje confirma isso.

Até esta segunda-feira, 17 voos foram recebidos com ajuda do México e da Venezuela, países que enviaram brigadas de resgate especializadas e meios técnicos e suprimentos para combater o incêndio. As brigadas especializadas de mexicanos e venezuelanos combatem o fogo na linha de frente junto com os nossos bombeiros. A Venezuela forneceu uma bomba de alta pressão para combater o fogo. O México entregou bombas de alta pressão, diversos navios, inclusive o navio “Bourbon Artabaze”, que possui tecnologia adequada para essas situações. Além disso, foram recebidos produtos químicos essenciais para resfriar e extinguir o fogo. Esta é uma demonstração palpável de solidariedade. Devo dizer que muitos países expressaram sua solidariedade e vontade de contribuir para acabar com o incêndio. Cuba agradeceu e agradece as inúmeras mensagens de apoio e cada oferta que aceitou e recebeu com gratidão.

O movimento brasileiro de solidariedade com Cuba mobilizou-se imediatamente. O mesmo aconteceu com os médicos formados em Cuba, a Câmara Empresarial Brasil-Cuba, que participa ativamente de ações solidárias que incluem o envio de medicamentos. Movimentos sociais, sindicatos, partidos políticos, organizações juvenis, lideranças políticas, entre outros, enviaram mensagens de incentivo e apoio ao nosso povo e governo. A todos, nossa gratidão.

Como ajudar Cuba?

Para ajudar Cuba existem duas contas destinadas a receber fundos e comprar medicamentos. Há uma conta que está em Cuba e outra é a da Câmara Empresarial Brasil-Cuba, que com esses recursos compra medicamentos em outros países para enviar um ou mais contêineres.

Direto para Cuba:

Conta: 0300000005336242

Título: DOAÇÕES DE EMERGÊNCIA

Código SWIFT: BFICCUHHXXX

Também está disponível o endereço eletrônico [email protected], por meio do qual os interessados também podem entrar em contato para receber orientações ou esclarecimento de dúvidas.

Conta da Câmara Empresarial Brasil-Cuba:

Banco do Brasil S.A.

Titular da Conta, Câmara Empresarial Brasil-Cuba,

AGENCIA 4770-8

CONTA CORRIENTE 13.844-4 / CNPJ 34.131.511/0001-64

O comprovante de depósito deve ser enviado ao correio:  [email protected]

Autor