A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Tag: Taxa de câmbio

Preços do óleo e arroz disparam novamente em setembro

Considerando a cesta básica mais cara do país, de Florianópolis, o Dieese estimou que o salário mínimo deveria ter sido equivalente a R$ 4.892,75.

Dólar a R$ 6: especulação reflete falta de confiança e credibilidade

Nesta quinta (14), o dólar comercial voltou a bater recorde, chegando a R$ 5,96 na máxima do dia. Ontem, a divisa norte-americana fechou cotada a R$ 5,90.

Bresser-Pereira: A teoria se confirma, mas sombriamente

Um cientista se alegra quando desenvolve uma teoria que implica uma predição e esta se confirma na prática. Em 2008 eu propus a tendência fundamental da macroeconomia desenvolvimentista que venho desenvolvendo desde 2001 – a tendência à sobreapreciação cíclica e crônica da taxa de câmbio.

Para Bresser-Pereira o Brasil está saindo da crise

O economista Luiz Carlos Bresser-Pereira afirmou em seu página do Facebook que o Brasil está saindo da crise. Bresser condenou o pessimismo e destacou o superávit comercial de 2015.

Yoshiaki Nakano: Um fato positivo na economia

Em sua coluna publicada no jornal Valor Econômico desta terça-feira (10), o professor e diretor da Escola de Economia da Fundação Getúlio Vargas, Yoshiaki Nakano, reconhece os prejuízos da desvalorização do real a curto prazo, mas aponta que “a médio e longo prazos, se a taxa real de câmbio for mantida estável, previsível e competitiva, os efeitos sobre o crescimento econômico serão extremamente benéficos para o futuro bem-estar da população brasileira”.

Renato Rabelo: Os juros e o carnaval da especulação

Desde ontem, terça-feira (16), o Comitê de Política Monetária (Copom) está reunido para discutir o índice da taxa Selic, que hoje está em 7,25%. A expectativa com os resultados dessa reunião está mobilizando os diversos setores da sociedade, a Rádio Vermelho apresenta a opinião do presidente do PCdoB, Renato Rabelo, e do professor de Economia da Universidade Municipal de São Caetano do Sul Volney Gouveia sobre a campanha dos juros.

Joanne Mota, da Rádio Vermelho com informações da TVT

Renato: Por trás da defesa dos juros estão os especuladores

"A receita tucana foi uma avalista estratégica para os setores que acumularam riqueza com a espiral inflacionária, daí os setores conservadores defenderem juros altos para combater a chamada alta da inflação". Esse foi o tom dado pelo presidente do PCdoB, Renato Rabelo, durante mais uma edição do Palavra do Presidente, ao refletir sobre as especulações da mídia sobre os rumos da economia no Brasil. A entrevista é do jornalista Gustavo Alves.

Joanne Mota, da Rádio Vermelho em São Paulo 

Renato Rabelo: Sem investimento, não há desenvolvimento 

“A mudança da política macroeconômica depende de uma ampla e forte luta política, pois essa mudança significa retirar privilégios de setores que, historicamente, ditaram as regras em nosso país”, afirmou Renato Rabelo, presidente do PCdoB, em mais uma reflexão no programa Palavra do Presidente.

Joanne Mota, da Rádio Vermelho em São Paulo 

Osvaldo Bertolino: O PIB medíocre e as eleições 

A reação da mídia e dos tucanos em geral ao desempenho medíocre do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2012, com um miserável crescimento de 0,9%, já raiou a indecência. Imediatamente após a divulgação dos números, a manipulação tomou conta do noticiário econômico. Há, evidentemente, problemas muito mais graves do que os apontados pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, mas eles passaram longe dos diagnósticos midiáticos.

Por Osvaldo Bertolino*

José Reinaldo: governo não deve ceder às pressões do rentismo

O anúncio do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), na noite desta quarta-feira (16), de manter a taxa de juros em 7,25% já era esperado, mas gera reações de sentidos opostos em diferentes setores do país.

Por José Reinaldo Carvalho, editor do Vermelho

Banco Central prevê recuo de preços e juro estável

As projeções do Relatório Trimestral de Inflação, divulgado ontem pelo Banco Central (BC), indicam aceleração da economia combinada com sensível recuo da inflação em 2013, o que reforça a expectativa de estabilidade da taxa básica de juros pelo menos por um ano.

Banco Central: juros caem com novo corte em projeção de PIB

O cenário pessimista para a economia mantém espaço para que o Banco Central siga com a política monetária de juros reais baixos. Esse horizonte foi reforçado ontem com novos cortes nas projeções para o Produto Interno Bruto (PIB). E as projeções dos juros nos contratos negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) caíram. Mas o volume, inferior à metade da média diária, sinaliza que esse cenário é cada vez mais consensual, deixando pouca margem para apostas mais especulativas.

1 2 3 8