Semana Vermelha: Bolsonaro, o regimento do Exército e a Constituição

Os bolsonaristas parecem incomodados com o rumo que a investigação sobre as fake news vão tomando, já que que podem revelar os crimes que cometeram ao difundir notícias falsas.

(Foto: Marcos Corrêa/PR)

O capitão Bolsonaro parece orientado pelo Regulamento Militar do Exército, cujo Art. 9° §3º pode ser compreendido pela expressão “ordens absurdas não devem ser cumpridas”, que usou contra a determinação do STF de ouvir o ministro da Educação Abraham Weintraub.

As provocações antidemocráticas logo foram radicalizadas por seu filho Eduardo ao dizer que uma “ruptura institucional” se aproxima. Os bolsonaristas – o próprio presidente e aqueles que o rodeiam – parecem incomodados com o rumo que a investigação sobre as fake news vão tomando, já que que podem revelar os crimes que cometeram ao difundir notícias falsas.

Há também a recusa do STJ de federalizar a investigação do assassínio de Marielle Franco – recusa que pode prejudicar os partidários de Bolsonaro, que queriam levar a investigação para Brasília.

No momento em que Bolsonaro se fragiliza – como mostram pesquisas divulgadas nesta semana, que mais uma vez revelam a rejeição crescente ao capitão presidente e seu governo – o campo democrático exibe seus músculos na grande adesão ao manifesto “Estamos Juntos em Defesa da Vida e da Democracia”.

Boas notícias também foram a aprovação pela Câmara dos Deputados da Lei Aldir Blanc para apoiar a cultura e seus trabalhadores, e da MP 936/20, com as mudanças feitas pelo relator Orlando Silva (PCdoB/SP) para proteger empregos, renda, e ajudar as empresas a manter empregos.


Estamos juntos Manifesto pela democracia e pela vida soma 6 mil assinaturas em um dia – Apoiado por personalidades da ciência, da política e das artes, o “Manifesto Estamos Juntos em Defesa da Vida e da Democracia” que defendem uma frente ampla, envolvendo esquerda, centro e direita, é assinado por mais de 6 mil logo em seu lançamento, na sexta-feira (29). https://vermelho.org.br/2020/05/30/manifesto-pela-democracia-e-pela-vida-soma-6-mil-assinaturas-em-um-dia/


Aprovada a Lei Aldir Blanc, de apoio à cultura e seus trabalhadoresCâmara aprova ‘Lei Aldir Blanc’ de ajuda emergencial ao setor cultural – A Câmara aprovou na terça-feira (26) o Projeto de Lei 1075/20 – a Lei Aldir Blanc – que destina R$ 3,6 bilhões para ações emergenciais no setor cultural beneficiando artistas e trabalhadores afetados pelas restrições impostas pelo isolamento social. https://vermelho.org.br/2020/05/26/camara-aprova-ajuda-emergencial-de-r-3-bilhoes-para-o-setor-cultural/


Investigação das fake news inquieta bolsonaristasJefferson, Hang e bolsonaristas são alvo de operação contra fake news – O bolsonarismo ficou em alarde na quarta-feira (27), quando a Polícia Federal cumpriu 29 mandados de busca e apreensão no inquérito das fake news. Estão na mira o ex-deputado Roberto Jefferson, o empresário Luciano Hang (dono da Havan), o deputado estadual paulista Douglas Garcia (PSL) e outros aliados de Bolsonaro. Já há indícios de envolvimento do vereador Carlos Bolsonaro no esquema de notícias falsas. Seu irmão, Eduardo Bolsonaro, deputado federal (PSL-SP), também é suspeito. https://vermelho.org.br/2020/05/27/jefferson-hang-e-bolsonaristas-sao-alvo-de-operacao-contra-fake-news/


Bolsonaro, rejeição crescente

Rejeição a Bolsonaro é a maior desde início do governo, diz Datafolha – Datafolha aponta que 43% dos brasileiros consideram o governo ruim ou péssimo, o pior índice desde o início do governo. A atual pesquisa já traz o impacto do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, e mostra que o Brasil não está mais partido em três partes iguais, mas caminha para uma divisão em que o polo que rejeita Bolsonaro é mais denso e polarizado. E o número dos que acham o governo regular, que era 26% em abril, caiu para 22%. A aprovação de Bolsonaro segue estável, em torno de 30%. E Bolsonaro perde apoio entre os mais ricos, fatia em que tem a maior rejeição: 49%. Entre os 55% que assistiram ao vídeo da reunião de 22 de abril, a rejeição sobe a 53%. https://vermelho.org.br/2020/05/28/rejeicao-a-bolsonaro-e-a-maior-desde-inicio-do-governo-diz-datafolha

Como o vídeo da reunião ministerial ampliou a rejeição a Bolsonaro – Outra pesquisa, da XP/Ipespe, mstrou que governo Bolsonaro é rejeitado por metade da população: 49% avaliam o governo como ruim ou péssimo. A rejeição a Bolsonaro aumentou com a divulgação do vídeo da reunião da reunião de 22 de abril – 71% teve conhecimento do vídeo, e 59% desse grupo pensam que o impacto foi negativo para o governo; 47% disseram que o vídeo mudou para pior sua opinião sobre o governo. https://vermelho.org.br/2020/05/29/como-o-video-da-reuniao-ministerial-ampliou-a-rejeicao-a-bolsonaro


Maia: decisão judicial deve ser cumpridaMaia rechaça fala de Bolsonaro e diz que decisão judicial se respeita – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, se pronunciou na quinta-feira (28) contra a fala de Bolsonaro e seu filho, o deputado Eduardo Bolsonaro. Disse que as instituições estão “garantindo sua independência” e que decisões judiciais devem ser respeitadas. Referia-se à decisão do STF de ouvir Abraham Weintraub. Sobre essa decisão,Bolsonaro disse que “ordem absurda” não se cumpre. Maia disse também que “espera” que Eduardo Bolsonaro não tenha ouvido do pai que uma “ruptura institucional” se aproxima. https://vermelho.org.br/2020/05/28/maia-rechaca-fala-de-bolsonaro-e-diz-que-decisao-judicial-se-respeita/


Quando a culpa é do juiz
Bolsonaro atiça seus apoiadores em ataque ao ministro Celso de Mello – Bolsonaro atacou o ministro do STF, Celso de Mello. Não diretamente, mas insinuou que ele cometeu abuso de autoridade ao divulgar o vídeo da reunião ministerial de 22 de abril. E incentivou seus apoiadores a atacar o ministro. Citou o artigo 28 da lei 13.869/2019, que diz: “Divulgar gravação ou trecho de gravação sem relação com a prova que se pretenda produzir, expondo a intimidade ou a vida privada ou ferindo a honra ou a imagem do investigado ou acusado: pena – detenção de 1 (um) a 4 (quatro) anos.” https://vermelho.org.br/2020/05/25/bolsonaro-atica-seus-apoiadores-em-ataque-ao-ministro-celso-de-mello

Cada vez mais inflamados e estimulados pelos ataques constantes de Bolsonaro à imprensa, seus seguidores hostilizaram jornalistas na segunda-feira (25) – Em frente ao Palácio da Alvorada, insultaram os jornalistas após Bolsonaro criticá-los. “Mídia lixo”, “comunistas”, “safados” foram alguns dos ataques da segunda. Na segunda-feira o movimento foi maior, já que muitos viajaram a Brasília para participar de ato pró-governo do domingo (24) na Esplanada dos Ministérios, em que mais uma vez Bolsonaro desrespeitou normas sanitárias em meio à pandemia. Mais tarde, jornalistas voltaram a ser hostilizados bolsonaristas, em frente ao Ministério da Defesa. https://vermelho.org.br/2020/05/25/inflamados-por-bolsonaro-apoiadores-voltam-a-insultar-imprensa/

Investigação sobre Marielle fica no Rio de Janeiro – Por unanimidade, STJ barra federalização do caso Marielle e Anderson – O STJ decidiu não federalizar a investigação dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes.O pedido para federalizar foi feito pela da ex-procuradora-geral Raquel Dodge em 2019, mas as famílias de Marielle e Anderson foram contrárias à mudança. https://vermelho.org.br/2020/05/27/por-unanimidade-stj-barra-federalizacao-do-caso-marielle-e-anderson/

EUA: ricos ficam mais ricos, apesar da coronacriseEnquanto trabalhador empobrece, patrimônio de bilionários cresce – O patrimônio dos bilionários dos EUA cresceu cerca de 15% desde o início da pandemia do novo coronavírus. A fortuna total dos mais de 600 bilionários estadunidenses aumentou em 434 bilhões de dólares. O patrimônio líquido total dos bilionários estadunidenses cresceu para 3,382 trilhões de dólares, ante os 2,948 trilhões do período pré-crise. Já os trabalhadores… desde o início da crise do coronavírus, cerca de 25 milhões entraram com pedido de seguro-desemprego. https://vermelho.org.br/2020/05/26/enquanto-trabalhador-empobrece-patrimonio-de-bilionarios-cresce/

Desemprego aumenta e bate recorde – Número de trabalhadores informais e domésticos também caiu – A taxa de desemprego foi a 12,6% no trimestre encerrado em abril ante 11,2% em janeiro. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número de desempregados chegou a 12,8 milhões, 898 mil a mais em três meses. O número de ocupados caiu 5,2% frente ao trimestre anterior, o que representa menos 4,9 milhões de pessoas empregadas.

Os desalentados, nomenclatura usada pelo IBGE para designar o trabalhador que desistiu de procurar uma vaga, foram recorde na série histórica, chegando a 5,026 milhões, o que representa um crescimento de 7% no trimestre. O percentual de desalentados em relação à população na força de trabalho ou desalentada (4,7%) também foi recorde.

O número de empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado caiu para 32,2 milhões, menor nível da série histórica. A queda foi de 4,5% frente ao trimestre anterior e 2,8% frente ao mesmo trimestre de 2019.

O número de empregados sem carteira assinada no setor privado (10,1 milhão de pessoas) também caiu: 13,2% em relação ao trimestre anterior e 9,7% contra o mesmo trimestre de 2019. Houve queda ainda no número de trabalhadores por conta própria, para 23,4 milhões de pessoas, uma redução de 4,9% em relação ao trimestre anterior e de 2,1% frente igual período de 2019.

Diminuiu também o total de trabalhadores domésticos (5,524 milhões). A redução foi significativa: -11,8% no trimestre (corte de 736 mil vagas) e -10,1% na comparação anual (menos 623 mil) https://vermelho.org.br/2020/05/28/desemprego-aumenta-e-bate-recorde/

Uma MP para tentar proteger empregos, renda, e ajudar as empresas a manter empregos – Câmara aprova MP que altera regras trabalhistas durante a pandemia – A Câmara dos Deputados aprovou, com mudanças favoráveis aos trabalhadores, a MP 936/20, que institui o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda, permitindo a redução de salários e jornada de trabalho ou suspensão do contrato trabalhista durante o estado de calamidade pública.

Foi aprovado o parecer do relator, deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), que alterou diversos pontos da proposta original. https://vermelho.org.br/2020/05/29/camara-aprova-mp-que-altera-regras-trabalhistas-durante-a-pandemia/

Mata-se negros – EUA – a polícia assassina mais um negro – Numa ação policial trivial, um brutamontes fardado se ajoelha sobre o pescoço do cidadão negro George Floyd e o sufoca até a morte. Um vídeo da brutalidade policial viralizou na internet e os protestos tomaram as cidades nos EUA. https://vermelho.org.br/2020/05/30/eua-a-policia-assassina-mais-um-negro/

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *