Brasil atinge a marca de 110 mil óbitos por Covid-19

Aumenta númeor de estados em descenso e estabilidade. Apenas DF, SC e AM permanecem aumentando o número de mortes.

Buffets de festas protestam diante da Prefeitura de São Paulo devido à proibição de funcionamento.

O Brasil atingiu a marca de 110 mil mortes por causa da pandemia do novo coronavírus. Com 1.212 novos registros nas últimas 24 horas, o total chegou a 111.100. Os dados foram divulgados na atualização do Ministério da Saúde (MS) hoje. Ontem, o painel do órgão marcava 109.888 vítimas fatais da doença. Ainda há 3.173 mortes em investigação.

O balanço do MS também contabilizou 3.456.652 casos confirmados desde o início da pandemia. Entre ontem e hoje, foram notificados pelas secretarias de saúde 49.298 novas pessoas infectadas com o coronavírus. Ontem, o sistema do MS trazia 3.407.354 casos confirmados.

Segundo o consórcio da imprensa, no entanto, o país registrou 1.170 mortes pela Covid-19 confirmadas nas últimas 24 horas, chegando ao total de 111.189 óbitos. Com isso, a média móvel de novas mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 989 óbitos, uma variação de -5% em relação aos dados registrados em 14 dias.

Em casos confirmados, já são 3.460.413 brasileiros com o novo coronavírus desde o começo da pandemia, 48.541 desses confirmados no último dia. A média móvel de casos foi de 41.420 por dia, uma variação de -5% em relação aos casos registrados em 14 dias.

A atualização do Ministério registrou ainda 730.298 pessoas em acompanhamento. Segundo o boletim divulgado pela pasta, 2.615.254 que já se recuperaram.

Veja os dados do boletim:

LETALIDADE
(número de mortes pelo total de casos)
MORTALIDADE
(quantidade de óbitos por habitantes)
CASOS POR HABITANTES
3,2%52,9 a cada 100 mil1.644,9 a cada 100 mil

Estados

Os estados com mais mortes são São Paulo (27.591), Rio de Janeiro (14.913), Ceará (8.241), Pernambuco (7.280) e Pará (6.015). As unidades da federação com menos óbitos são Tocantins (536), Roraima (575), Acre (591), Amapá (622) e Mato Grosso do Sul (668).

No total, 2 estados e o Distrito Federal apresentaram alta de mortes: DF, AM e BA. Em relação a terça (18), MG estava com a média de mortes em alta e, hoje, está em estabilidade. BA estava com a média estável e, nesta quarta, está subindo.

  • Subindo: DF+39%, AM+45% e BA+32%.
  • Em estabilidade, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu significativamente: SC-11%, ES+5%, MG+7%, RJ+4%, SP-1%, GO+5%, MS+9%, PA-13%, TO-10% e PB-5%.
  • Em queda: PR-20%, RS-16%, MT-16%, AC-29%, AP-52%, RR-46%, AL-18%, CE-36%, MA-30%, PE-24%, PI-24%, RN-46% e SE-29%.
  • O estado de Rondônia não divulgou os dados até as 20h. Considerando os dados até 20h de terça (18), estava em estabilidade (-5%).

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás.

Comparação internacional

O Brasil segue na 2ª colocação no ranking de casos e mortes. A liderança é dos Estados Unidos, que segundo o Boletim Epidemiológico da pasta, chegou a 5.313.080 pessoas infectadas e 168.446 mortes. O Brasil, no entanto, tem mais mortes que os EUA proporcionais ao tamanho da população.

Já quando considerada a incidência (casos por 1 milhão de habitantes) e mortalidade (óbitos por 1 milhão de habitantes) o Brasil fica na 8ª posição, com índices de, respectivamente, 2.722 e 98. O país subiu um posto na lista de países por mortalidade em relação à semana passada, quando ocupava a 9ª colocação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.