Teatro Pessoal do Faroeste sofre ação de despejo em SP

Sede de companhia era base de projeto de distribuição de cestas básicas na região da Cracolândia durante a pandemia, e pode ser demolida nesta quinta-feira

Foto: Reprodução/Facebook Pessoal do Faroeste

A companhia teatral Pessoal do Faroeste foi despejada de sua sede, localizada no centro da cidade de São Paulo, na tarde desta quarta-feira.

O grupo deve cerca de R$ 200 mil em aluguéis atrasados ao proprietário do sobrado, na Rua do Triunfo – próximo a área da Cracolândia. O valor equivale a cerca de um ano e meio de alugueis não pagos.

O diretor e líder do grupo, Paulo Faria, afirmou que os oficiais de Justiça chegaram ao local às 13h30, antes do início da distribuição de cestas básicas a cerca de 1000 famílias do entorno, um projeto tocado pela companhia de teatro desde o início da pandemia.

Embora Faria tenha conseguido um acordo para transferir o material do teatro para o prédio anexo, onde funciona o Instituto Luz do Faroeste, militantes que atuam na região dizem que o dia mais crítico será esta quinta-feira (03/09), quando o teatro deve ser detonado.

Uma das poucas formas de reverter a decisão seria o prefeito Bruno Covas (PSDB) assinar um decreto sobre a possibilidade de o prédio ser um espaço do município – existe uma emenda de autoria do deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) a respeito.

Leia também:

Cia. Pessoal do Faroeste faz vaquinha para evitar despejo do teatro

Assista a live com o diretor da Cia Teatral Pessoal do Faroeste:

Publicado no Jornal GGN

Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *