Ressentimento com quarentena na zona rural dos EUA explode em contágio

Acesso mais difícil a ajuda emergencial, impossibilidade de home office e trabalho imigrante informal, assim como dependência das cidades pequenas de atividades turísticas tornaram impossível manter o vírus longe das comunidades.

Trabalhadores imigrantes esperam por uma oportunidade de emprego numa cidade rural duramente atingida pela Covid-19

À medida que a Covid-19 se espalha pela América rural, o número de novas infecções está aumentando a picos nunca vistos durante esta pandemia e levando os hospitais ao limite. Muitas cidades estão experimentando seus primeiros grandes surtos, mas isso não significa que as comunidades rurais tenham sido poupadas dos impactos devastadores da pandemia.

As taxas de infecção em comunidades rurais e de fronteira diminuíram e diminuíram durante os primeiros sete meses, frequentemente aparecendo em bolsões ligados a frigoríficos, asilos ou prisões.

Mesmo que não houvesse nenhum caso, muitas áreas rurais estavam sob ordens de saúde pública em todo o estado que deixaram negócios fechados e eventos cancelados. E isso se tornou parte do problema hoje. As primeiras respostas compassivas e coesas da comunidade à Covid-19 rapidamente deram lugar a uma raiva crescente e fadiga de conformidade, especialmente quando algumas cidades isoladas não viram seus primeiros casos positivos até o verão.

Esse ressentimento em relação às recomendações de saúde pública, incluindo o uso de máscaras, está agora em um curso intensivo com o aumento do número de casos em Mountain West, Midwest e Great Plains. Pela quinta semana consecutiva, os condados rurais testemunharam um aumento acentuado nos casos, a ponto de mais de 70% dos condados não metropolitanos do país ganharem uma designação de “zona vermelha”, sugerindo que a disseminação viral local estava fora de controle. A realidade, porém, é que a Covid-19 nunca esteve “sob controle” nos EUA.

Como professores de medicina familiar com experiência em política de saúde rural e prática médica, temos estudado as barreiras que as comunidades rurais enfrentam durante a pandemia e como elas podem resolver os desafios relacionados à Covid-19.

Compreender os impulsionadores do aumento de casos de Covid-19 em áreas rurais é fundamental para reduzir o aumento atual e limitar as crises no futuro.

Por que os casos rurais estão aumentando
Vários fatores contribuíram para o aumento do número de casos rurais.

A politização da pandemia – e do uso de máscaras – tem dificultado os esforços de saúde pública e a colaboração entre empresas, organizações comunitárias e entidades de saúde. As tensões políticas deram origem a desinformação, reforçada nas redes sociais, que pode ser difícil de reverter. Se as pessoas não estiverem tomando medidas de proteção, quando a Covid-19 entrar, ela pode se espalhar fácil e rapidamente.

Em algumas comunidades, a retomada das atividades em cidades pequenas, como escolas, igrejas e eventos esportivos, levou a mais infecções. Os especialistas apontaram as reuniões sociais, incluindo o rally de motocicletas Sturgis com quase 500.000 pessoas em Dakota do Sul em agosto, como fontes do recente aumento da Covid-19 no meio-oeste superior.

Trabalhar em casa também é quase impossível para muitos empregos rurais. A licença médica remunerada também pode ser difícil de obter, levando algumas pessoas a escolher entre trabalhar enquanto estão doentes ou se isolar em casa sem remuneração. As fábricas de processamento de carnes e aves e outras indústrias agrícolas frequentemente empregam imigrantes cujas realidades de vida e de deslocamento podem dificultar o distanciamento social. Muitos lugares rurais são fortemente dependentes de recreação e indústrias de serviços. Quando os visitantes chegam de fora da cidade, eles podem trazer a Covid-19 com eles.

Os cuidados de saúde locais já são insuficientes
Detectar surtos de Covid-19 precocemente e impedir a propagação também pode ser mais difícil nas áreas rurais.

O financiamento dos departamentos de saúde pública rural há muito tempo é anêmico, prejudicando sua capacidade de testar, compartilhar dados e realizar rastreamento de contatos. Os recursos limitados também restringem os esforços de educação e divulgação.

Muitos hospitais rurais e clínicas de atenção primária entraram na pandemia com problemas financeiros e com falta de pessoal crônica. Eles residem diretamente no final da cadeia de suprimentos, dificultando a aquisição do equipamento de proteção individual necessário e os suprimentos de teste. Os hospitais rurais têm menos leitos de UTI per capita do que os urbanos. A falta de uma cobertura de banda larga consistente também pode dificultar o acesso à telessaúde.

Esses fatores, combinados com o cuidado de uma população comparativamente mais velha, mais doente e mais pobre, deixam as comunidades rurais extraordinariamente vulneráveis ​​à medida que os casos continuam a aumentar.

Como virar a maré de casos crescentes
Intervir agora pode diminuir a taxa de aumento de casos em áreas rurais, ao mesmo tempo em que cria uma resposta mais robusta de longo prazo.

Para ser mais eficaz, a demografia, economias e perspectivas únicas de cada área rural devem ser consideradas conforme as políticas são desenvolvidas.

Por exemplo, permitir que as comunidades rurais exerçam controle sobre suas decisões de reabertura e fechamento com base na dinâmica local de transmissão de doenças lhes permitiria equilibrar melhor a mitigação de doenças com os impactos econômicos. Alguns estados permitem que comunidades rurais com poucos ou nenhum caso solicitem dispensas de ordens de saúde pública estaduais. Esses aplicativos geralmente examinam os dados de infecção local, medidas de contenção e capacidade de assistência médica.

Mudar a natureza do diálogo sobre Covid-19 na comunidade também pode ajudar na implementação de medidas simples e eficazes, como o uso de máscara. Quando as comunicações são pessoais, podem ser mais aceitas. Por exemplo, uma mensagem de serviço público pode lembrar às pessoas que usar uma máscara mantém seu negócio favorito aberto e sua avó saudável. Enquadrar os níveis de risco em termos compreensíveis para diferentes tipos de atividades também pode ajudar, por exemplo, como se exercitar ou se socializar com segurança. Trabalhar com mensageiros locais confiáveis, como proprietários de empresas e líderes religiosos, pode ajudar a transmitir informações baseadas em evidências.

O planejamento também é essencial. As comunidades precisam se preparar para obter suprimentos, testes e tratamento quando necessário; proteger os membros mais vulneráveis ​​da comunidade; educar a comunidade; e apoiar as pessoas em isolamento e quarentena. Uma abordagem rural regional para testar e rastrear contatos, compartilhar suprimentos e trocar pessoal pode ajudar a preencher algumas lacunas. Obter os resultados dos testes mais perto de casa pode diminuir o tempo de espera e os custos de correio. Compartilhar recursos entre organizações de saúde também pode minimizar o peso da resposta.

3 maneiras de fortalecer os sistemas para o futuro
Covid-19 provavelmente não será a última pandemia rural que a América verá. Aqui estão três maneiras de fortalecer os sistemas rurais para o futuro.

Em parceria com universidades e agências locais e estaduais, as comunidades podem incorporar suas suscetibilidades únicas em modelos epidemiológicos dinâmicos que podem informar melhor a saúde pública local e as decisões econômicas.

O alinhamento da saúde pública com as medidas de saúde pode ajudar os governos a equilibrar melhor as respostas à pandemia e garantir que todas as partes da comunidade estejam se movendo em direção ao mesmo objetivo.

O aumento do acesso à banda larga e da velocidade da internet em comunidades rurais e de fronteira também pode ajudar. Durante a pandemia, as pessoas em todos os lugares reconheceram a necessidade de conectividade com a Internet para educação, trabalho remoto e compra de bens, bem como assistência médica virtual.

Lauren Hughes é professora associada de medicina familiar da Universidade do Colorado Anschutz Medical Campus

Roberto Silva é professor assistente de medicina familiar da Universidade do Colorado Anschutz Medical Campus, em Denver

Traduzido por Cezar Xavier

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.