O descortinar de nosso retrocesso civilizacional, por Henrique Matthiesen

“A porta do absurdo foi escancarada, a bestialidade perdeu a modéstia e as vísceras da insensatez estão expostas em praça pública”

A polarização da insanidade recheada de preconceitos, ódios seculares, falso moralismo, inabilidade e a luta por hegemonismo, entre outras desinteligências, aflorou nosso miserável retrocesso civilizacional.

A porta do absurdo foi escancarada, a bestialidade perdeu a modéstia e as vísceras da insensatez estão expostas em praça pública.

Vivemos uma profunda e perturbadora crise moral cuja resquícios de qualquer ética se esvaem rapidamente por entre os ralos dos esgotos.

O caso do “pit-deputado” Daniel Silveira é mais um dos atinadíssimos sintomas de nossa gravíssima patologia do retrocesso, que caminha para um golpe e para a ruptura da ordem democrática.

Neste cenário perturbador constata-se que não há inocentes; nas digitais do oportunismo do jogo subterrâneo do poder encontram-se o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal, e a própria Presidência da República. Todos os poderes corroídos e corresponsáveis pelo momento bestial que vivenciamos.

Aonde chegamos?
Onde vamos parar?
Qual o limite?

Extremismo, ódio, intolerância e ignorância dão a pauta política. Não há mais debate e se perdeu o senso de razoabilidade; todos surdos e cegos afundados em seus profundos umbigos de ressentimentos e arrogância.

Paralelamente, milícias armadas são constituídas à claridade caustica da nação sob o imobilismo paquidérmico das togas e a pouca reação do Congresso Nacional mergulhado na promiscuidade da sarjeta da pequena e mesquinha política.

As eructações do deputado Daniel Silveira, infelizmente não se trata apenas de um ato tresloucado de bestialidade isolado, mas sim, a opinião e o sentimento de contingentes  políticos, militares e milicianos que se armam e se articulam com as bençãos de Jair Bolsonaro.

Tímidas reações acanhadas, fruto de voluntarismo, são insuficientes para frear a marcha da insensatez que se mobiliza para a grade golpe.

Sim, querem fechar o Congresso Nacional  e o STF. Querem grupos armados abatendo os que ousam discordar. Querem a volta do repulsivo Ato Institucional nº 5 como adoradores de torturadores, subalternos a ditadores e negacionistas e genocidas.

Esta é a crise moral e perturbadora a qual a sociedade brasileira assiste e convive.

Absurdamente mais de 100 deputados votaram favoravelmente ao deputado. Altas patentes confessam intimidações à ordem democrática, inadvertidamente; métodos de propagação em massa de discurso e disseminação de ódio, preconceito, e intolerância são praticados criminosamente por meio de redes sociais e relatos de manipulação e formação de conluio judicial para perseguição política são reveladas.

Soma-se a isso mais de 140 mil mortos por uma pandemia negligenciada criminosamente pelo presidente da república e seus ministros.

Nosso isolamento internacional, a crise econômica e social colossal, a desunião das oposições, a desorganização social e seu imobilismo são o cenário perfeito para o descortinar de nosso retrocesso civilizacional, afinal eles preparam o golpe.

Autor