Alckmin começa agenda de campanha no interior de SP por Bauru

Candidato a vice de Lula tem papel estratégico na disputa pelo voto paulista, pelo diálogo que tem com prefeitos e o agronegócio.

Lula-Alckmin Foto: Ricardo Stuckert

A partir desta quinta (13), Geraldo Alckmin (PSB), vice na chapa de Luis Inácio Lula da Silva, vai se dedicar ao interior paulista para conseguir aumentar o número de votos no estado. O ex-governador de São Paulo cumpre um papel estratégico, principalmente, no estado mais rico e maior colégio eleitoral, onde Lula teve votação menor que Jair Bolsonaro em 515 dos 645 municípios. 

Alckmin esteve em Bauru nesta quinta e, na sexta-feira (14), visitará Mogi Mirim e Limeira. O ex-governador tem uma ligação muito forte com prefeitos em cidades pequenas e médias no interior de São Paulo, assim como é próximo ao agronegócio.

Para que o vice possa investir mais tempo no interior paulista, onde sempre teve votação expressiva quando estava no PSDB, ele e Lula vão cumprir agendas diferentes, com o objetivo de amplificar o alcance da campanha. O ex-presidente está no Nordeste, enquanto Alckmin viaja por São Paulo.

Leia também: Alckmin visa ampliar contato com o agro em viagem ao Norte e Centro-Oeste

Amplitude e diálogo

O movimento de Alckmin entre setores mais conservadores da sociedade paulista passa uma mensagem de amplitude e busca de diálogo para além da esquerda. Além de seu prestígio junto à Faria Lima [referência à região de São Paulo onde se concentram as sedes dos maiores grupos financeiros do país], transita com facilidade em setores do centro. Alckmin também tem se destacado na tentativa de aproximação dos empresários, embora Lula tenha conquistado confiança deste segmento durante seus dois governos.

Seus discursos tratam principalmente da situação de uma classe média empobrecida ou abandonada pelos governos. “Aos empresários, que têm dificuldade de honrar seus compromissos, que se sentem acuados e foram prejudicados por uma política econômica mal-sucedida, que gerou inflação, elevou os juros, tornou o financiamento mais caro e impeditivo, que é fruto da improvisação e da falta de planejamento desta gestão [atual] (…). Eu quero dizer que Bolsonaro abusou de sua confiança, mas nós jamais abusaremos”, disse ainda no começo da campanha, sobre o pequeno empreendedor.

Leia também: Alckmin critica gestão ambiental e diz que Lula impulsionou o agronegócio

No primeiro turno, Jair Bolsonaro (PL) teve 47,71% dos votos no estado de São Paulo, contra 40,89% de Lula. Na capital, o petista ficou na frente com quase dez pontos percentuais a mais que o adversário.

Em Bauru, onde Alckmin esteve hoje, Bolsonaro teve 53% dos votos válidos. Ele ultrapassou Lula nas 16 maiores cidades do interior, e outros 500 municípios. Apesar disso, conquistou menos cidades paulistas do que no 2º turno de 2018, quando venceu em 631 municípios.

Nos maiores municípios da Grande São Paulo, a chapa Lula/Alckmin venceu, como em São Bernardo do Campo, Osasco, Diadema, Mauá e Carapicuíba. Na capital paulista, Lula teve 47,54% dos votos, contra 37,99% do presidente. O ex-presidente também venceu em cidades do Pontal do Paranapanema, no extremo oeste do estado. Foram 130 cidades paulistas preferindo Lula.

Leia também: Alckmin diz que, com Bolsonaro, educação virou escândalo e saúde retrocedeu