A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Cultura

Elifas Andreato: quando a emoção aproxima e abre a guarda

“Elifas, você entrou para a trajetória das brasileiras, tocando em nossos corações.”

Elifas Andreato (1946-2022), o artista de cores, brasilidade e combate

Artista gráfico, morreu nesta terça-feira (29), vítima de infarto, aos 76 anos

Elifas Andreato e as estrelas da esperança, por José Carlos Ruy

Os desenhos, capas de disco, jornais e revistas, os cenários para teatro, os troféus de Elifas Andreato são um comentário artístico e comovente da história brasileira das últimas décadas. Entre crianças, estrelas e esperanças há também o registro de atrocidades como o Livro Negro da Ditadura Militar. O artista, que completou 70 anos de idade e 50 de carreira neste ano, revolucionou a forma de fazer capas de discos no Brasil.

O Portal Vermelho republica este artigo do saudoso José Carlos Ruy em homenagem à Elifas Andreato, falecido nesta terça-feira (29)

Elifas Andreato: minha arte é uma devoção e convicção

“Sou humilde, e quando faço algo me inspiro na vida. E tudo que eu fiz até hoje, fiz por convicção”. Foi como Elifas Andreato resumiu, ao Vermelho, durante alguns intervalos na preparação da festa dos 90 anos do PCdoB, no Vivo Rio (Rio de Janeiro), sua jornada pela terra até aqui.

O Portal Vermelho republica essa entrevista em homenagem a esse grande artista brasileiro falecido nesta terça-feira (29)

O que a branquitude e a oficialidade fingem não saber, por Dani Balbi

Jada está tragicamente espremida entre uma Academia que se diversifica na superfície, mas que celebra homens negros ridicularizando situações dolorosas que atravessam as vidas de mulheres negras e permite que nós nos embatamos em público para a diversão dos salões da branquidade

Fora Bolsonaro e bandeira de Lula marcam o primeiro dia do Lollapalooza

Da diversidade celebrada, o primeiro dos três dias de festival ficou marcado por um desejo comum de rejeição a Bolsonaro. Os gritos uníssonos foram ouvidos em praticamente todos os shows

Despertar, uma crônica sobre racismo e pertencimento

Eu senti como um sacolejo. Intuí que ela achava que eu, para estar ali, era babá ou mesmo uma convidada de “consideração”, que era como chamavam, e às vezes chamam, as meninas negras acolhidas? Adotadas?

Especialistas criticam mudanças na Lei de Incentivo à Cultura

Instrução normativa publicada em fevereiro reduziu tetos da lei, limitando cachês e montantes que podem ser captados

Senado aprova a Lei Paulo Gustavo, de apoio ao setor cultural

Projeto prevê repasse de R$ 3,8 bilhões para ações emergenciais

Banco de dados inédito traz a produção dos primeiros modernistas

Projeto reúne informações sobre autores que participaram da Semana de 22 e outros que se destacaram nos anos seguintes

A cultura vai salvar o meio ambiente

Para se ter uma ideia do sucesso do que veio a ser chamado Fenômeno Hallyu, ou Onda coreana, apenas a banda de K-Pop BTS, a mais escutada no mundo, gerou U$ 1,45 bilhão e criou oito mil empregos no país, em 2019. O terceiro maior lançamento na Bolsa de Valores (IPO) na história do país foi da empresa de serviços culturais Big Hit, produtora da banda, valorizada em U$ 8.6 bilhões, com crescimento de 160% no primeiro dia no mercado de ações.

Catedral de ossos ou húmus da cultura brasileira?

Para os que acreditam no legado artístico e literário do movimento, sem o evento fundador da nossa modernidade artística estaríamos hoje em uma penúria irremediável. Mas para os que franzem as sobrancelhas para as estripulias dos jovens de 22, se legado houve, foi apenas relativo seu valor estético, embora amplo seu apelo ideológico

1 2 3 4 5 624