A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Tag: Pobreza

Banco Mundial prega ampliar Bolsa Família contra pobreza; Temer ignora

Em estudo publicado em fevereiro, o Banco Mundial destacou que o Brasil precisa ampliar o orçamento do Bolsa Família para conter o aumento da pobreza na recessão. "Se isso é possível, o Brasil que tem que decidir", disse o economista da instituição, Emmanuel Skoufias. Para o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, não é "necessário" ampliar o programa e organismos como o Banco Mundial “estão contaminados com o discurso” de que o governo Temer “não se preocupa com os pobres”.

Com Temer, Brasil pode ter até 3,6 milhões de novos pobres em 2017

Sob o governo de Michel Temer, até o fim do ano, 3,6 milhões de brasileiros podem voltar a viver abaixo da linha da pobreza – com menos de R$ 140 por mês. A estimativa é do Banco Mundial. Os “novos pobres” são, em sua maioria, adultos jovens, urbanos, com escolaridade média, lançados no desemprego pela recessão que a atual gestão só aprofunda. São produto da austeridade seletiva em vigor, de uma estratégia que massacra os mais pobres e é incapaz de gerar empregos ou retomar o crescimento.

Desigualdade que mata: Pobreza é fator de risco maior para a saúde

A pobreza e a desigualdade social constituem sérias ameaças à saúde, com efeitos tão ou mais devastadores do que a obesidade, a hipertensão ou o consumo excessivo de álcool.

Estudante de baixa renda será maior vítima dos cortes no Fies

O governo Temer segue cortando as mínimas garantias sociais do povo. Nesta segunda-feira (5) o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM-PE), anunciou uma redução de 29% nos investimentos do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). A medida, válida para os novos contratos criados a partir desse mês, diminuiu o limite de financiamento por curso de R$ 42 mil para R$ 30 mil a cada semestre.

Por Laís Gouveia 

Pobreza encurta a vida mais que qualquer outra doença

Estudo critica a OMS por não incluir a desigualdade como fator ser combatido. A evidência científica é robusta: a pobreza e a desigualdade social prejudicam seriamente a saúde. No entanto, as autoridades de saúde não dão a esses fatores sociais a mesma atenção que dedicam a outros quando tentam melhorar a saúde dos cidadãos. 

Golpe devolve 4,3 milhões de famílias às classes D e E

Levantamento feito pela Tendências Consultoria com base na Pnad e em dados da Receita Federal – divulgados até 2015 e projeções para 2016 – prova que golpe parlamentar produziu efeitos perversos, especialmente entre a população mais pobre.

Aumenta a desigualdade social na Argentina

A diferença entre pessoas ricas e pobres na Argentina ampliou-se consideravelmente, ao aumentar 2,4 vezes do segundo ao terceiro trimestre de 2016.

Os pobres vão pagar sempre o preço mais caro

Escrevi aqui há algum tempo que em momentos de crise, seja de que espécie for, os pobres são sempre os mais penalizados.

Por Mônica Francisco*, no Jornal do Brasil

Pobreza na União Europeia atinge 25 milhões de crianças 

Cerca de 25,2 milhões de crianças e adolescentes (26,9%), estavam em risco de pobreza ou exclusão social, nos 28 países da União Europeia, percentagem que é superior nos países do Sul afetados pela crise, onde a pobreza e exclusão ameaçam uma em cada três crianças. 

Vice-premiê chinês pede que governos locais combatam a pobreza

O vice-primeiro-ministro da China Wang Yang pediu na quinta-feira (10) que os governos locais do país resolvam os principais problemas revelados na última rodada de inspeções de alívio da pobreza.

Mundo ainda tem 1 bilhão de pessoas vivendo na pobreza

De acordo com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon ainda existem 1 bilhão de pessoas no mundo vivendo em miséria extrema e mais de 800 milhões enfrentam fome e desnutrição.
Ban Ki-moon afirma que para cumprir a promessa da Agenda 2030 — “não deixar ninguém para trás” —, é preciso pôr fim à humilhação de pessoas que vivem na pobreza.

A inacreditável concentração de renda e riqueza no Brasil

Os 5% mais ricos detêm 28% da renda total e da riqueza, sendo que o 1% dos declarantes mais ricos acumulam 14% da renda e 15% da riqueza. E os 0,1% mais ricos detêm 6% da riqueza declarada e da renda total.

Por Fernando Nogueira da Costa*

1 5 6 7 8 9 25