Em queda lenta, Brasil soma mais de 142 mil mortos por Covid-19

Média móvel de óbitos segue estável há 2 semanas. Flexibilização do isolamento social com registro de muitas aglomerações pelo país impede uma queda mais significativa da curva epidêmica.

Fluminense – Nove jogadores testam positivo para Covid-19 Foto: Lucas Merçon/Fluminense F.C.

O Brasil registrou 317 novas mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas, segundo atualização divulgada pelo Ministério da Saúde. Com isso, o país já soma 142.058 mortos pela doença causada pelo novo coronavírus.

É o menor balanço diário de óbitos desde 7 de setembro, quando o país registrou 310 novas mortes. Desconsiderando o feriado, dia em que os estados tendem a reduzir o envio dos dados ao Ministério da Saúde, os números de hoje são os menores desde 4 de maio (277).

Curva de mortes que vinha caindo está estacionada nas duas últimas semanas

Já o total de casos foi a 4.745.464, com 13.155 novos diagnósticos confirmados de ontem para hoje.

Curva de casos repete, agora, a estabilidade dos óbitos, o que torna mais lenta a queda no Brasil, comparado com outros países.

Já pelo levantamento do consórcio da imprensa, o país registrou 385 mortes, chegando ao total de 142.161 óbitos. Com isso, a média móvel de novas mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 687 óbitos, uma variação de -15% em relação aos dados registrados em 14 dias.

Desde o dia 14 de setembro a tendência na média móvel de novas mortes segue em estabilidade, ou seja, o número não apresentou alta nem queda representativa em comparação com os 14 dias anteriores. 

Em casos confirmados, pelos dados da imprensa, já são 4.748.327 brasileiros com o novo coronavírus desde o começo da pandemia, 16.412 desses confirmados no último dia. A média móvel de casos foi de 26.892 por dia, uma variação de -14% em relação aos casos registrados em 14 dias.

Covid-19 nos Estados

São 14+DF em queda, com nove estáveis e apenas três estados nortistas acelerando os óbitos.

Após uma semana de alta, o estado de São Paulo voltou a apresentar, na semana passada, queda no número de óbitos e de novos casos de Covid-19, além de manter a diminuição do número de novas internações, o que já vinha acontecendo há dez semanas.

Na semana passada, a 39ª semana epidemiológica da doença, que compreende o período entre os dias 20 e 26 de setembro, SP registrou 1.136 mortes pelo coronavírus, o que dá uma média móvel de 162 mortes por dia, próximo ao que o estado registrava em meados de maio.

Mesmo no estado de SP, em que os números estão caindo, a curva epidemiológica não apresenta um desenho de queda vertical, mas de estabilidade horizontal, assim como a curva nacional.

No total, 3 estados apresentam alta de mortes: Amazonas, Amapá e Roraima.

Há estados, porém, em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. É o caso dos três estados do Norte: a média de mortes no Amapá, de 1 para 2; e em Roraima, de 2 para 3. A média é arredondada para facilitar a apresentação dos dados.

Já a situação no Rio de Janeiro e em Minas Gerais é diferente. O RJ vem apresentando alta há 10 dias consecutivos, com médias que variam entre 81 e 103 mortes diárias. Minas Gerais tem apresentado uma sequência maior de dias em estabilidade, mas já é o segundo dia consecutivo em alta, e a média passou de 62 para 73 mortes diárias no intervalo de 14 dias.

  • Subindo (3 estados): AM, AP e RR
  • Em estabilidade, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu significativamente (9 estados): SC, ES, MG, RJ, TO, BA, MA, PB e PE
  • Em queda (14 estados + DF): PR, RS, SP, DF, GO, MS, MT, AC, PA, RO, AL, CE, PI, RN e SE

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.