A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Tag: Farc

Colômbia: 27 dirigentes sociais assassinados em 2020

O Instituto de Estudos para o Desenvolvimento e a Paz precisou que 27 dirigentes sociais e defensores dos direitos humanos foram mortos na Colômbia em 2020. A estes juntam-se 4 ex-combatentes das FARC-EP.

O ano da Colômbia: em 2019, país foi às ruas contra a desigualdade

Primeira greve geral desde 1979 foi reprimida com violência; acordo de paz com FARC completou três anos.

Após onda de assassinatos, setor da Farc volta a se armar

Ao abandonar as armas para assinar o Acordo de Paz as Farc deixaram de ser a maior guerrilha da Colômbia para se tornar um partido político. Porém, a violência de Estado e dos paramilitares aumentou e só no governo do presidente Iván Duque, eleito em 2018, já foram assassinados 229 líderes sociais. Diante das violações dos direitos humanos, um setor do “Partido da Rosa”, decidiu retornar à luta armada. O anúncio foi feito por Iván Márquez na quinta-feira (29).

Por Mariana Serafini

ONU confirma que 71 ex-membros da Farc foram mortos após acordo de paz

O secretário geral da ONU, António Guterres, informou nesta sexta-feira (5) que ao menos 71 ex-integrantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) foram mortos após o acordo de paz firmado em 2016.

Duque assume presidência, a paz na Colômbia estremece

Iván Duque, novo presidente da Colômbia, assumiu na terça-feira (7) a presidência do país. Não tardou em pronunciar suas promessas de fazer "corretivos" no acordo de paz assinado em 2016 com as FARC, hoje partido político

ONU condena descaso do Estado colombiano com acordo de paz

O Conselho de Segurança da ONU se reúne nesta quinta-feira (26) para debater sobre o processo de paz na Colômbia, que atualmente está ameaçado, neste processo de transição dos governos de Juan Manuel Santos para Iván Duque, o presidente de extrema-direita recém eleito. A organização afirmou que o país está marcado por uma “incerteza” que gera desconfiança nos ex-guerrilheiros.

Após eleições, Farc defendem unidade pela paz na Colômbia

O partido da ex-guerrilha Farc se pronunciou sobre o resultado das eleições presidenciais da Colômbia, realizadas neste domingo (17). Os ex-guerrilheiros demonstraram disposição para se reunir com o novo presidente, Iván Duque, a fim de debater o acordo de paz firmado com o governo de Juan Manuel Santos.

Tribunal de paz na Colômbia revisará caso de Jesús Santrich

A Jurisdição Especial para a Paz (JEP) da Colômbia assumirá a partir dessa quinta-feira (12) o caso do dirigente da FARC Jesús Santrich, preso na última segunda-feira (9) por solicitação da embaixada dos Estados Unidos

Membro da Farc é preso na Colômbia a pedido dos EUA

O membro da Farc Jesus Santrich foi preso nesta terça-feira (10), em sua casa, em Bogotá, após um pedido feito pela embaixada dos Estados Unidos na Colômbia. A ação foi executada pelo Ministério Público do país e pode ser só o começo de uma onda de perseguição, uma vez que há ordem de captura de outros importantes membros do atual partido, entre eles, Timo Leonel, Pastor Alape, Iván Márquez e Pablo Catatumbo.

Eleições na Colômbia: Votar na Farc foi um ato de coragem

Depois de 50 anos clandestinos na selva colombiana, os guerrilheiros das Farc vieram à luz e se lançaram na disputa política para defender paz e justiça social. O partido, que tem a mesma sigla da ex-guerrilha, conquistou mais de 58 mil votos para o Senado e a Câmara nas eleições gerais realizadas no último domingo (11). Pode parecer pouco, mas se levamos em conta que há menos de um ano, muitos destes candidatos sequer tinham rosto, a história muda de contexto.   

Por Mariana Serafini

Farc atuará no parlamento da Colômbia pela implementação da paz

A bancada da Força Alternativa Revolucionária do Comum (Farc) no novo Congresso da Colômbia centrará sua ação parlamentar nas reformas ainda pendentes do processo de implementação dos acordos de paz.

Colômbia: Saúde de Timochenko e violência tiram Farc de campanha

A Força Alternativa Revolucionária da Colômbia (FARC) anunciou nesta quinta-feira (8) que não irá participar das eleições presidenciais que ocorrerão no país em 27 de maio. Os motivos são os episódios de violência contra candidatos do ex-grupo guerrilheiro, hoje partido, e a saúde de seu candidato a presidente, Rodrigo Londoño, o "Timochenko", que passou por uma cirurgia no coração.

1 2 3 66