A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Lejeune Mirhan

Sociólogo, Professor, Escritor e Arabista. Colunista da Revista Sociologia da Editora Escala, da Fundação Maurício Grabois e do Vermelho. Foi professor de Sociologia e Ciência Política da UNIMEPentre 1986 e 2006. Presidiu o Sindicato dos Sociólogos do Estado de São Paulo de 2007 a 2010.Recebe mensagens pelo correio eletrônico [email protected]
Desdobramentos do crescimento da tensão entre China e Taiwan

Na semana entre os dias 3 e 8 de outubro a região do Indo-Pacífico, Mar do Sul da China e Estreito de Taiwan, viveram os dias mais tensos das últimas décadas. Em função da radicalização do presidente Tsai Ing-Wen, do Partido Democrático Progressista da Ilha autogovernada, que não é nem democrático e nem progressista, vem defendendo cada dia com mais ênfase, a independência e separação da República Popular da China, que jamais ocorrerá. Neste ensaio trato de discutir esse tema, dando um histórico da questão e seus desdobramentos.

Eleições na Alemanha e mudanças na geopolítica mundial

No último dia 26 de setembro, domingo, realizaram-se as eleições mais importantes na República Federal da Alemanha, quarta maior economia do mundo. Pretendo neste novo ensaio abordar os seguintes aspectos: a) Como são as eleições na Alemanha; b) Breves comparações com o sistema brasileiro; c) O tamanho do Parlamento, fazendo também comparações com o Brasil; d) Os partidos políticos existentes na Alemanha e e) O resultado final e seus desdobramentos.

Assembleia da ONU: Vexame, guerra e paz em 2021

O que presenciamos no último dia 21 de setembro foi uma barbaridade. Já se sabia desde a segunda-feira, que a fala do presidente seria eivada de mentiras. Eu, pessoalmente, não aquilatava que pudessem ser tantas mentiras, como as que ele falou em seu discurso

O novo governo provisório dos Talibãs

Após 23 dias da tomada de Cabul, a capital do Afeganistão, pelo grupo guerrilheiro de camponeses Talibãs, finalmente foi anunciado um novo governo. Mas, este será provisório. Ele, por certo, reflete as dificuldades iniciais deles se firmarem no poder e provavelmente das disputas políticas internas. Apenas cinco nomes foram anunciados. Não é nada fácil você pesquisar sobre essas pessoas na Internet. Quase nada se tem sobre eles, até porque, passaram os últimos 20 anos lutando contra os Estados Unidos. Meu propósito com este novo ensaio, é fazer uma análise, dentro do possível, dessa composição

Uma possível análise marxista sobre o governo dos Talibãs

Neste meu novo ensaio sobre a temática internacional, sigo ainda no tema Afeganistão. Neste trabalho procuro desenvolver uma análise marxista sobre o que lá ocorreu. Procuro definir algumas coisas, fatos e fenômenos, bem como esclarecer sobre termos e palavras usadas pela mídia que tem o claro intuito de confundir. E isso penetra nas consciências até mesmo de parte da nossa esquerda

Falência da política externa dos EUA sob Biden

No dia 20 de agosto, o presidente democrata Joe Biden completará sete meses de governo, em torno de 210 dias. Havia várias questões estratégicas da política externa de seu novo governo, que os analistas políticos internacionais imaginavam que haveria mudanças profundas, substanciais. Não é o que estamos vendo. Pretendo neste ensaio dissertar sobre esses problemas principais, analisando ao final os rumos gerais e as perspectivas. Ao final, apresento um resumo sistematizado dessa política externa

Wagner Gomes, você está presente! Eternamente!

Convivo anos a fio com o amigo e camarada Wagner e presto-lhe minha última homenagem com esta pequena nota necrológica. Wagner viverá eternamente em nossa memória e, de inúmeras formas, tudo faremos para eternizar a sua memória

O novo presidente do Irã e a geopolítica mundial

Desde quinta-feira, dia 5 de agosto, o Irã já tem o seu oitavo presidente desde a Revolução Islâmica de 10 de fevereiro de 1979, há 42 anos, revolução essa, pesadelo dos Estados Unidos. O novo presidente, Dr. Ebrahim Raisi, doutor em direito e professor universitário, é tido pela mídia de direita e sionista internacional, como ultraconservador. Pretendo neste pequeno novo ensaio, discorrer sobre os desdobramentos para a geopolítica mundial deste novo período, que se insere nas grandes mudanças que estamos presenciando mundialmente.

Bolsonaro, aos poucos, vai se assumindo como neonazista

Ao se encontrar com Beatrix von Storch, Bolsonaro reforça seus ideais reacionários e se assume como um neonazista

Fim completo da privacidade: mundo vive escândalo da espionagem

Desde a terça, 20 de julho de 2021, o mundo, mais uma vez, ficou estarrecido com revelações feitas a partir de jornalistas investigativos e pela Anistia Internacional. Em torno de 50 mil telefones de autoridades, governantes, jornalistas de grandes meios de comunicação vieram à público e pior: todos foram monitorados

Cuba vencerá, mais uma vez, o imperialismo estadunidense

No domingo 11 de julho, o mundo assistiu pelas grandes redes corporativos da mídia burguesa internacional, as imagens de alguns protestos em Cuba, onde os manifestantes gritavam as duas palavrinhas mágicas da contrarrevolução: liberdade e democracia, como se ambas as questões não existissem na ilha socialista. No dia 18 de julho, veio a resposta. Centenas de milhares de cubanos em apoio à Revolução foram para as ruas. Trato neste meu novo ensaio, sobre o significado desses “protestos”, seus desdobramentos e perspectivas.

Irã, a história recente de uma Revolução

Pretendo neste pequeno e novo ensaio, contar a história recente da República Islâmica do Irã, tendo como linha de corte o episódio do golpe contra Mossadeh em 1953. Relatarei o movimento amplo que uniu forças de esquerda e os muçulmanos para derrubar uma ditadura fascista pró-EUA, em fevereiro de 1979. Por fim, chegarei aos dias atuais, comentando, mais uma vez em detalhes, os resultados das eleições iranianas do dia 18 de junho

1 2 3 25