A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Urariano Mota

Jornalista do Recife. Autor dos romances “Soledad no Recife”, “O filho renegado de Deus” e “A mais longa duração da juventude”
A volta do Violência Zero

No primeiro programa, abrimos com um especial dedicado à prostituição infantil no Recife. Foi um escândalo. Quiseram acabar com o programa já no começo

Antônio Maria em Vento Vadio

Nas frases cômicas, nos textos humorísticos, Antônio Maria é como Garrincha. Imaginamos o lado para o qual ele vai dar o drible, mas ainda assim somos enganados. Porque ele é imprevisível

Eulália, a memória de presente

De repente, quando vou saindo, uma senhora com uma cabecinha toda branca, veio até perto de mim e começou a falar de coisas que eu não entendia bem, mas que me pareciam ter sabor de pão com açúcar, do tempo da infância no beco

A maior honra de um craque

.

Miguel Arraes e Reginaldo Rossi

Arraes sempre foi um político de ideias de esquerda, mas isso ele fazia ao lado de um grau imenso de pragmatismo. Quem era o rei que atraía o povão? — Reginaldo Rossi. Então vamos a ele. E assim foi

A ditadura brasileira e os dois demônios

Aqui, continuamos com os dois demônios no discurso da direita: “Se houve assassinatos, houve assassinatos dos dois lados”. Pior, temos continuado sob o demônio do terror de Estado, pois volta o negacionismo da ditadura

O dia que Che Guevara tomou a Livro 7 no Recife

Um dia, em plena ditadura, Djalma teve um extraordinário surto: Djalma foi até o bar da Livro 7 com as armas imortais da sua imaginação

Ditadura, ficção e memória

Os anos findos, na aparência findos, renascem transformados. O passado não é morto. É vivo, hoje, passou por aqui agora. Disso eu não sabia. Essa descoberta me ocorreu ao escrever “A mais longa duração da juventude”

A bandeira do Brasil

Nestes dias de fome e angústia pela destruição de tudo no Brasil, o afeto à bandeira se encontra mesmo encerrado, trancado e preso

Marília Mendonça e o ideal de beleza feminina

Ainda não chegamos à compreensão de que valorizar um certo ideal de beleza física para as mulheres é um desprezo à sua pessoa. Pois a mulher desejada é só a mulher da cama? E depois?

Marighella, o filme

A cada fala e presença de Seu Jorge, temos vontade de pular da cadeira e gritar “Marighella, presente!”

Doença mental sob o desgoverno Bolsonaro

Me refiro ao desequilíbrio mental em brasileiros dignos, estudiosos, necessários para o desenvolvimento econômico e cultural em nosso país. Acompanhem, por favor, e vão notar que não exagero.

1 2 3 28