A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Tag: mortalidade infantil

Sob Bolsonaro, Yanomami tem o maior índice de mortes de crianças

Etnia teve 7% de mortes por desnutrição infantil entre 2019 e 2020 – 24 crianças morreram.

Desigualdade está por trás de 30% da mortalidade infantil, diz Fiocruz

O quadro, muito agravado pela pandemia e pelo desmonte do Estado, foi iniciado no governo de Michel Temer e aprofundado por Bolsonaro

Com golpe, mortalidade infantil e materna voltaram a crescer

Após um período de declínio na taxa de mortalidade infantil, entre 2010 e 2015, o indicador voltou a crescer em 2016, de acordo com a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco). A mortalidade materna também apresentou aumento nesse mesmo período. A crise econômica, o ajuste fiscal e o corte em investimentos na saúde e em programas sociais são apontados pela Abrasco como possíveis fatores para o retrocesso.

Mortalidade infantil cresceu devido ao avanço da pobreza, diz estudo

O Ministério da Saúde convidou 15 especialistas para buscar a motivação do primeiro aumento da mortalidade infantil em 26 anos e os estudos técnicos apontaram o que já era esperado: o avanço da pobreza e os cortes em áreas consideradas cruciais para o desenvolvimento e principalmente para a saúde foram os principais fatores para o retrocesso. 

Mortalidade materna cresce no país e governo descumpre metas da ONU

De acordo com dados do Ministério da Saúde, a taxa de mortalidade materna voltou a crescer. A taxa foi de 62 por 100 mil nascidos vivos em 2015 para 64,4 em 2016, após diversas quedas nos anos 1990. Para além do aumento, o Brasil havia assumido, e descumprido, a meta de reduzir a mortalidade materna em 75% até 2015 e agora, irá descumpri-la novamente em 2030, em um novo retrocesso.

Por Verônica Lugarini

Arruda Bastos: Golpe é responsável por avanço da mortalidade infantil

“Entidades respeitadas como a Unicef registram que, historicamente, a queda da mortalidade infantil está associada à melhoria nas condições de vida da população, à atenção à saúde das crianças, à segurança alimentar, ao saneamento básico e à vacinação. Os cortes aplicados na saúde e nos programas sociais pelo governo golpista de Temer são, sim, responsáveis por esse genocídio e retrocesso”.

Por Arruda Bastos*

Cortes na saúde pública elevam a mortalidade infantil

A taxa de mortalidade infantil voltou a subir depois de 26 anos em queda contínua no Brasil. Em 2016, foram 14 óbitos para cada mil nascidos vivos, um aumento de 5% em relação ao ano anterior. Até então, o país registrava uma redução anual média de 4,9% desde o início dos anos 1990.

Alta da mortalidade infantil é fruto da incompetência da gestão

Pela primeira vez houve alta da mortalidade infantil no país desde 1990. Segundo o Ministério da Saúde, o crescimento foi de 4,8% em 2016, na comparação com o ano anterior. Na análise do médico sanitarista, professor universitário e ex-ministro da Saúde Arthur Chioro, o novo dado está ligado às medidas promovidas pelo governo de Michel Temer.

Após 26 anos em queda, mortalidade infantil volta a crescer no país

A austeridade fiscal e a redução das políticas públicas levaram ao primeiro aumento da morte de crianças no Brasil em 2016 desde a década de 1990. Segundo o Ministério da Saúde, a epidemia do zika vírus, ampliada por conta dos cortes na saúde, e a crise causada por um cenário econômico com desemprego e político conturbado, foram os causadores desse aumento.

Em defesa dos “negócios da saúde”, EUA rejeitam aleitamento materno

Os Estados Unidos assumiram a defesa dos produtores de leite artificial, que gastam milhões em campanhas políticas e lobby, na Assembleia Mundial da Saúde realizada, em Genebra.

Proposta de Temer pode atingir Bolsa Família, diz diretor do Dieese

O acordo anunciado pelo governo Temer para resolver a situação dos caminhoneiros não cola. O desgaste do presidente é tanto, que não existe confiança nas negociações. Se cumprido, o acordo terá um custo social que se refletirá diretamente na saúde das crianças pobres. É o que afirma Clemente Ganz Lúcio, diretor do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Por Maria Carolina Trevisan*

Com teto dos gastos, Brasil deve ter 20 mil mortes a mais de crianças

De acordo com estudo publicado pela revista internacional Plos Medicine, a austeridade econômica em vigor no país poderá causar a morte de 20 mil crianças até 2030. Esse aumento está diretamente ligado ao corte de verbas para os programas sociais que vinham mostrando resultados positivos nos últimos anos, como o Bolsa Família.

1 2 3 4