A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Pedro Luiz Teixeira de Camargo (Peixe)

Biólogo, Geógrafo e Professor; atualmente é Doutorando em Evolução Crustal e Recursos Naturais pela UFOP/MG e Membro da Direção Eixo Sudeste da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica (EcoEco). Foi diretor da União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais (UEE-MG) e da Associação Nacional de Pós Graduandos (ANPG)
Amazônia, Desenvolvimento Sustentável e Soberania Nacional

Vimos ao longo do último mês de agosto a fatídica, mas óbvia notícia de variados incêndios ao longo da Amazônia brasileira. Apesar de triste, era óbvio que isso aconteceria, afinal de contas a irresponsabilidade e incompetência do Ministro do Meio Ambiente, ligado ao Partido Novo (que de novo não tem nada), é visível. Chega a ser risível o despreparo desse senhor, talvez só comparável ao do próprio presidente.

Capitalismo financeirizado, capital fictício e o desafio dos trabalhadores

O capital especulativo avança em uma velocidade nunca antes vista, chama a atenção a dificuldade do proletariado em resistir ao avanço das novas formas de exploração de sua força de trabalho, em especial, inclusive, para se reconhecer como tal.

Cartas do cárcere em pleno século XXI – uma versão tupiniquim

Com as gravações divulgadas pela imprensa, tanto burguesa como popular, fica cada vez mais evidente a grande farsa jurídica que foi a condenação do ex-presidente Lula.

Balança, mas ainda não cai 

– é preciso ampliar muito mais para derrotar o fascismo.

Nazismo de esquerda: a origem dessa bobagem

Talvez uma das maiores bobagens que temos lido e ouvido nos últimos anos seja a horda de alucinados, liderados por Olavo de Carvalho e a família Bolsonaro, afirmando que o nazismo era algo “esquerdista”.

Denunciar as mazelas da Ditadura é papel de qualquer democrata  

31 de março de 1964: data fatídica onde se iniciou o golpe militar brasileiro que deu início a uma terrível ditadura que só se encerrou em 1985. Até as eleições diretas de 1989, foram mais de 30 anos sem que o cidadão comum pudesse votar e escolher seus representantes.

A questão da dívida pública e a falsa polêmica do déficit da Previdência

Um dos principais argumentos daqueles que defendem a Reforma da Previdência, baseia-se na premissa que o Estado brasileiro estaria bastante endividado e, dessa forma, se faz necessário cortar parte de seus gastos, justificando assim por que querem mudar, de toda forma, a aposentadoria brasileira, pois ela onera em demasia os cofres públicos.

A dívida pública e a falsa polêmica do déficit da Previdência Social

Um dos principais argumentos daqueles que defendem a Reforma da Previdência, baseia-se na premissa que o Estado brasileiro estaria bastante endividado e, dessa forma, se faz necessário cortar parte de seus gastos, justificando assim por que querem mudar, de toda forma, a aposentadoria brasileira, pois ela onera em demasia os cofres públicos.

Crime ambiental de Brumadinho: algumas reflexões a serem feitas

O ano de 2019 se inicia e com ele temos mais uma grande tragédia social e ambiental no município de Brumadinho, Minas Gerais. Outra barragem de rejeitos de minério se rompe e centenas de pessoas são atingidas por lama e água, configurando o acontecimento como uma das maiores catástrofes minerárias do nosso país.

Os mesmos erros seguem guiando parte da esquerda. Até quando?

 No meu último texto, escrito no início do mês de novembro, chamei a atenção sobre a importância de se parar de cometer os erros que levaram a centro esquerda a maior derrota eleitoral dos últimos 15 anos, entretanto, parece que parcela significativa do campo popular democrático parece não ter entendido nada com a derrota sofrida no último dia 28 de outubro, pois seguem com os mesmos equívocos.

Perdemos, é fato. Mas e agora? O que fazer?*

 O último domingo 28 de outubro entra para a história como a data em que, mesmo com ampla mobilização social, as forças mais retrógradas e conservadoras do Brasil alcançaram o mais alto posto da república, elegendo Jair Bolsonaro.

Voto útil é aquele que garante o 2º Turno, o resto é bobagem

No momento que escrevo este artigo faltam três dias para o primeiro turno das eleições de 2018. No campo popular progressista, o que mais se fala é em quem votar e qual o melhor candidato para combater o fascista, líder das pesquisas de intenção de voto desde que a candidatura de Lula foi, de maneira absurda, cassada.

1 2 3 4 7

Colunistas

Jorge Gregory
Paulo Nogueira Batista Jr.
João Quartim de Moraes
Alexandre Lucas
Francisca Rocha
José Reinaldo Carvalho
Urariano Mota
José Carlos Ruy
Paulo Kliass
Luciano Siqueira