A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Pedro Luiz Teixeira de Camargo (Peixe)

Biólogo, Geógrafo e Professor; atualmente é Doutorando em Evolução Crustal e Recursos Naturais pela UFOP/MG e Membro da Direção Eixo Sudeste da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica (EcoEco). Foi diretor da União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais (UEE-MG) e da Associação Nacional de Pós Graduandos (ANPG)
A dívida pública e a falsa polêmica do déficit da Previdência Social

Um dos principais argumentos daqueles que defendem a Reforma da Previdência, baseia-se na premissa que o Estado brasileiro estaria bastante endividado e, dessa forma, se faz necessário cortar parte de seus gastos, justificando assim por que querem mudar, de toda forma, a aposentadoria brasileira, pois ela onera em demasia os cofres públicos.

Crime ambiental de Brumadinho: algumas reflexões a serem feitas

O ano de 2019 se inicia e com ele temos mais uma grande tragédia social e ambiental no município de Brumadinho, Minas Gerais. Outra barragem de rejeitos de minério se rompe e centenas de pessoas são atingidas por lama e água, configurando o acontecimento como uma das maiores catástrofes minerárias do nosso país.

Os mesmos erros seguem guiando parte da esquerda. Até quando?

 No meu último texto, escrito no início do mês de novembro, chamei a atenção sobre a importância de se parar de cometer os erros que levaram a centro esquerda a maior derrota eleitoral dos últimos 15 anos, entretanto, parece que parcela significativa do campo popular democrático parece não ter entendido nada com a derrota sofrida no último dia 28 de outubro, pois seguem com os mesmos equívocos.

Perdemos, é fato. Mas e agora? O que fazer?*

 O último domingo 28 de outubro entra para a história como a data em que, mesmo com ampla mobilização social, as forças mais retrógradas e conservadoras do Brasil alcançaram o mais alto posto da república, elegendo Jair Bolsonaro.

Voto útil é aquele que garante o 2º Turno, o resto é bobagem

No momento que escrevo este artigo faltam três dias para o primeiro turno das eleições de 2018. No campo popular progressista, o que mais se fala é em quem votar e qual o melhor candidato para combater o fascista, líder das pesquisas de intenção de voto desde que a candidatura de Lula foi, de maneira absurda, cassada.

Derrotar o golpe é importante, mas vencer o ódio é fundamental

No Brasil pós golpe temos assistido frequentemente a perda de direitos da classe trabalhadora. Coisas óbvias, do tipo proibição de mulheres grávidas e lactantes de realizarem atividades de alta periculosidade, fazem parte do passado de acordo com a nova reforma trabalhista.

A volta das doenças erradicadas: mais uma etapa do Golpe de 2016

Uma das coisas mais surpreendentes que teve destaque na grande mídia neste último mês de julho foi a volta das ditas doenças erradicadas.

Socialismo: desmistificando algumas lendas urbanas

Já fazia algum tempo que eu tinha vontade escrever um texto sobre as lendas urbanas que são construídas em cima dos termos “socialismo” e “comunismo”. Esta semana, ao deparar com o show de horrores, machismo, deselegância e bizarrices que foi o programa Roda Viva com a candidata do PCdoB a presidenta do país Manuela D'Ávila, resolvi que era hora de falar um pouco sobre isso de maneira simples e direta. Para isso, escolhi para este mês 5 bobagens espalhadas acerca dos comunistas.

Allende e 2013: Relembrar para não errar de novo

Um dos episódios mais emblemáticos da história recente de nosso continente foi a ascensão (e queda) de Salvador Allende, em 1970 no Chile, o primeiro marxista a chegar ao poder através do voto popular.

1° de Maio: Muito por lutar, pouco a comemorar

O feriado internacional de 1° de Maio é uma das mais importantes datas presentes no calendário de comemoração da classe proletária. De maneira curiosa, é super comum muita gente confundir a denominação da data, nomeando-a erroneamente como dia do trabalho e não dia do trabalhador.

Frente Ampla ou Frente de Esquerda: O debate que não se encerra

 Talvez o principal (e triste) acontecimento político do último mês de Março de 2018 tenha sido a tentativa de assassinato ao ex-presidente Lula na região Sul do país. Seja entre a esquerda, ou mesmo entre a direita (com o governador do PSDB de São Paulo declarando que “o PT colheu o que plantou”), o debate sobre esta lamentável situação povoou os semanários de notícias.

Fogo amigo: a eterna inocência da esquerda brasileira

O mês de Março se inicia do mesmo modo que acabou Fevereiro: com a esquerda batendo cabeça entre ela mesma e a direita nadando de braçada. Triste constatar isso, mas é fato.

1 2 3 4 7