A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Tag: Otan

Otan/EUA x China/Rússia: crescem as ameaças de uma confrontação aberta

Inebriados pela vitória de há 30 anos, a superpotência imperialista e seus vassalos da Otan, UE e Israel, lançaram-se numa orgia de guerras, ferozes ofensivas contra trabalhadores e povos e acumulação de obscenas riquezas.

Bielorrússia, refugiados e a hipocrisia sem limites

Vagas de refugiados é coisa que não falta. No Mediterrâneo, nas fronteiras EUA/México, Turquia/Grécia e até França/Inglaterra. Milhões de refugiados nem chegam aos centros imperiais-midiáticos. Ficam nos países vizinhos das tragédias humanitárias causadas pelas guerras EUA/OTAN/UE, como sejam o Irã, Líbano, Turquia ou Paquistão. Mas quem ouvir a comunicação social pensará que se passa algo diferente na fronteira Polônia/Bielorrússia.

União Europeia faz soar os tambores de guerra

Os arautos do euro-atlantismo encontram-se numa “azáfama”. Ambições militaristas, uma vez mais proclamadas, e os interesses em jogo, são o que a motivam.

As patranhas atlantistas

Dois papagaios do “atlantismo” – ou seja, do imperialismo EUA/OTAN/UE – escrevem no jornal português Público (3.10 e 6.10). Não têm qualquer importância em si, mas a cartilha que seguem tem.

“Aukus, Quad, Cinco Olhos” – Nomes de Guerra

A aliança militar e tecnológica entre os EUA, Reino Unido e Austrália (Aukus) abre uma nova frente na escalada estratégica do imperialismo contra a China, na região vital que a terminologia dominante, desde Trump, decidiu designar de Indo-Pacífico (em vez de Ásia-Pacífico) para acomodar a Índia.

EUA estão retirando equipamento militar do Afeganistão, diz comandante

Movimento faz parte da decisão da administração Biden de remover as forças americanas do Afeganistão até o dia 1º de maio

EUA sancionam aliado da OTAN, Turquia, por mísseis de defesa russos

A Turquia condena a ação dos EUA, chamando-a de “grave erro” e ameaça retaliar conforme necessário.

De Olho no Mundo, por Ana Prestes

A cientista política Ana Prestes analisa os principais fatos da conjuntura internacional com destaque para disputa pela presidência do Banco Interamericano de Desenvolvimento e para o anúncio de um medicamento capaz de salvar a vida de pacientes graves da Covid-19. Argentina, o acordo Mercosul-União Europeia, a tensão entre Trump e Angela Merkel, a violência policial nos EUA e a expansão da pandemia do novo coronavírus na África também são temas da análise desta quarta-feira (17).

A luta pela hegemonia, por Samuel P. Guimarães

O fenômeno político, econômico e militar mais importante, anterior à emergência do Coronavírus e que, após o fim da Pandemia, permanecerá, é a disposição dos Estados Unidos em manter sua hegemonia mundial, seu poder de Império, face à ascensão e competição chinesa.

Na Europa fechada pelo vírus, a UE abre as portas ao exército dos EUA

Os Ministros da Defesa dos 27 países da União Europeia (EU), 22 dos quais são membros da Otan, reuniram-se nos dias 4 e 5 de março, em Zagreb, na Croácia.

1 2 3