A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Tag: programas sociais

Bolsa Família de R$ 300 atrapalha investimentos, diz Fazenda

Folga do teto permitiria elevar gastos com programa social, reduziria a miséria, “mas empobreceria os ricos”.

Fim do Programa Farmácia Popular pode elevar custos da saúde

Sílvia Storpirtis afirma que internações hospitalares devem aumentar em decorrência das doenças crônicas se o programa, que distribui medicamentos gratuitamente, for extinto

‘Contra o Brasil’: deputado rebatiza Pró-Brasil de Bolsonaro

De olho na reeleição em 2022, Bolsonaro quer injetar recursos em projetos que deem visibilidade à sua gestão, a despeito da Educação

Pressão contra teto de gastos vira guerra no governo e no Congresso

Em meio à pandemia, e com o desespero de Bolsonaro por um programa social que leve a marca de seu governo – ele pensa em substituir o Bolsa Família pelo Renda Brasil – crescem as tentativas de flexibilizar a regra, muitas delas partindo de integrantes do próprio Executivo.

Recessão do golpe arrasa com indicadores sociais

O golpe de 2016 liquidou com todos os indicadores sociais do país que até 2015 vinham apresentando melhoras significativas. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) está estagnado pelo terceiro ano consecutivo; o Brasil possui tem uma das piores concentrações de renda do mundo; 6,27 milhões de pessoas foram lançadas abaixo da linha da pobreza; o desemprego atingiu 12,9% dos trabalhadores e 1/3 dois jovens está fora do mercado, o pior índice da América do Sul.

Governo Temer zera pagamento a um terço dos programas federais em 2018

Os retrocessos impostos pelo golpe de 2016 se agravam a cada dia. Seus efeitos são tão grotescos que é impossível passarem despercebidos em qualquer esfera: reforma trabalhista, teto dos investimentos públicos, cortes na educação, na saúde e na tecnologia são apenas alguns exemplos.

Temer corta 95% das verbas em programas sociais e compromete futuro

Beneficiários de programas que sofreram cortes contam como políticas sociais foram determinantes em suas vidas. Só no programa Minha Casa Minha Vida, por exemplo, houve uma queda brusca no orçamento de R$ 23,55 bilhões em 2015 para R$ 8,40 bilhões em 2016.

Temer tira R$ 209 mi de verbas sociais para pagar publicidade enganosa

Com a rejeição perene do governo, apontado nas pesquisas com 70% de reprovação, Michel Temer decidiu lançar o que chama de “supercampanha” para dizer que os dois anos de governo golpista “salvaram o Brasil”.

O golpe e a destruição da economia visando à sua desnacionalização

Depois de quase três anos de uma explosiva recessão no sistema produtivo brasileiro, as privatizações do governo Temer revelam-se mais do que a venda de bens e serviços públicos. O programa em curso, anunciado como suposto remédio para atrair investimento e crescimento, representa mesmo a desnacionalização profunda do patrimônio nacional, apontando claramente para um processo de conversão neocolonial.

Por Marcio Pochmann, na Rede Brasil Atual

A revolta das elites brasileiras contra a redução das desigualdades

A receita para a redução da desigualdade no capitalismo industrial pode ser sintetizado por três componentes principais. Especialmente a partir do final da segunda grande Guerra Mundial (1939 – 1945), os países industrializados convergiram para a constituição (1) do fundo público ampliado assentado na tributação progressiva, (2) do Estado de bem estar social de cobertura universal e (3) da regulação da relação entre o capital e o trabalho concomitantemente com o estabelecimento do pleno emprego.

Para defender programa De Braços Abertos, comunidade prepara festival 

Um festival em defesa da continuidade do programa De Braços Abertos – que tem por base a inclusão social e familiar no atendimento a dependentes químicos da região do centro da capital conhecida como cracolândia – está sendo organizado por artistas, trabalhadores e beneficiários, para o próximo sábado (17), na Praça Julio Prestes, das 12h às 19h.

Ato cobra de João Doria manutenção do programa De Braços Abertos

A faixa pendurada na entrada do Teatro da Universidade Católica (Tuca), na zona oeste da cidade, dava o tom do ato. Nela lia-se: "Doria não feche os braços". Promovido pela Frente Estadual de Luta Antimanicomial (Feasp) na última terça-feira (29), dezenas de pessoas, a maioria trabalhadores na área da saúde mental, se reuniram para chamar a atenção do futuro prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), para não terminar com o programa De Braços Abertos (DBA).

1 2 3 7