A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Augusto Buonicore

Historiador, mestre em ciência política pela Unicamp e diretor de publicações da Fundação Maurício Grabois. Autor dos livros Marxismo, história e a revolução brasileira: encontros e desencontros; Meu Verbo é Lutar: a vida e o pensamento de João Amazonas; e Linhas Vermelhas: marxismo e os dilemas da revolução. Todos publicados pela Fundação Maurício Grabois e Editora Anita Garibaldi.
Marx e o 18 de Brumário de Louis Bonaparte

Marx, ao contrário de toda a historiografia liberal, tenta demonstrar que a luta de classes é que “criou na França as circunstâncias e as condições que permitiram a um personagem medíocre e grotesco representar o papel de herói”, no caso Napoleão III. O autor faz uma apresentação da essência das Constituições burguesas. Elas nos garantem ‘amplas liberdades’, para logo em seguida remeter a sua regulamentação às leis orgânicas que, na prática, as restringem. Os limites das liberdades burguesas são sempre a “segurança pública” e a “propriedade privada”.

Os marxistas e a homossexualidade*

“A maioria dos clássicos tratou desses temas de maneira mais ou menos abrangentes. As diversas internacionais aprovaram resoluções e campanhas à respeito. “

O cristianismo e o comunismo primitivo

Em artigo inédito, Augusto Buonicore analise as relações entre o cristianismo e o comunismo, trazendo reflexões Rosa Luxemburgo, Kautsky para mostrar como a luta dos trabalhadores e a religião se desenvolveram ao longo dos séculos até os dias atuais, e alerta: Tomemos cuidado com esses novos Messias que agora defendem os ricos, disseminam o ódio aos diferentes, a tortura, o armamento geral e até o genocídio.

O PCdoB e a campanha das Diretas

A conquista da maioria na Câmara dos Deputados e a eleição de inúmeros governadores deram novo ânimo à oposição. Agora o maior obstáculo para que ela pudesse chegar ao poder central era o Colégio Eleitoral e sua maioria governista. A única saída seria a aprovação da eleição direta para a presidência da República. Uma emenda neste sentido já havia sido apresentada pelo deputado Dante de Oliveira e estava parada no Congresso Nacional.

As mulheres e a luta socialista

Neste ensaio, o autor traça um amplo painel da luta das mulheres pela sua libertação e analisa o papel desempenhado pelo movimento socialista nesse prolongado e complexo processo. Mostra a resistência do liberalismo clássico burguês em relação à extensão dos direitos políticos às mulheres. E as contribuições dos marxistas à construção de uma concepção emancipacionista entre os séculos XIX e XX. Por fim, aborda os avanços e impasses na situação da mulher na experiência soviética.

PPP: uma alternativa para a atuação comunista no governo Dutra

Existem várias passagens desconhecidas na história da esquerda e dos comunistas brasileiros. E é justamente nos interstícios dos esquecimentos que alguns mitos são construídos. 

A esquerda no labirinto: lições da frente democrática e antifascista

 "A unidade de uma frente tem como mote a defesa da democracia ameaçada, encarando-a como condição necessária para avançarmos nas outras pautas."

O pensamento radical de Clóvis Moura

Este texto é uma das apresentações à segunda edição do livro Dialética Radical do Brasil Negro, do professor Clóvis Moura. Esta obra estava se tornando uma verdadeira raridade bibliográfica. Fato que acarretava grandes prejuízos àqueles estudiosos e militantes dos movimentos sociais que desejavam ter contato direto com essa interpretação radical e original da formação social brasileira.

O Partido Comunista do Brasil em 1968

O ano de 1968 foi marcado pela primeira grande crise do regime militar. Acontecimentos como esse impactam fortemente os partidos políticos, especialmente os que procuram representar os interesses nacionais e populares. Este artigo tratará da atuação do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) naquela rica conjuntura. A história desta organização continua sendo um dos buracos da historiografia da esquerda brasileira, apesar dos avanços ocorridos nestes últimos anos.

João Amazonas e as origens da Frente Brasil Popular

"As lições daquela grande batalha política continuam bastante atuais. Para vencer, ontem como hoje, é preciso construir uma ampla unidade de todas as forças democráticas e populares, tendo como núcleo a esquerda. A divisão e o sectarismo são o caminho mais curto para a derrota.

1932: a revanche oligárquica

"O nosso movimento é do Brasil. Católico,disciplinado e forte, contra a anarquia emque queriam que vivêssemos. Uma luta de Jesus contra Lenine".(Ibrahim Nobre. "Tribunodo Movimento Constitucionalista", em 12 dejulho de 1932)

1 2 3 9