A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Manlio Dinucci

Jornalista, geógrafo e cientista político. Escreve regularmente no jornal italiano Il Manifesto
Os EUA se preparam para o confronto com a Rússia e a China

À primeira vista parece o cenário de um filme catastrófico de Hollywood. Ao invés disso, é um dos cenários previstos no informe oficial de 2018 da comissão encarregada pelo Congresso dos Estados Unidos de estudar a estratégia de defesa nacional.

Os destruidores da Líbia são agora “a favor da Líbia”

Uma meia-lua (símbolo do islamismo) desenhada como um hemisfério estilizado que, flanqueado por uma estrela e as palavras “for/with Libya” (por/com a Líbia), representa “um mundo que quer ficar do lado da Líbia” – é a logomarca da “Conferência pela Líbia” promovida pelo governo italiano, como evidenciam as faixas tricolores na parte inferior da meia-lua.

A fake news do “maxi radar”

“O M5S (Movimento Cinco Estrelas*, no governo,)está dividido sobre o maxi radar siciliano”, é a manchete do Corriere della Sera, que assim divulga uma maxi fake news: não sobre o fato de que a direção do M5S, depois de ter conquistado na Sicília apoio eleitoral com o não ao MUOS (Mobile User Objective System), agora dá marcha a ré sobre o próprio objeto do litígio.

A estratégia de demonização da Rússia

Ao mesmo tempo, o novo governo se comprometeu com “uma abertura para a Rússia, a ser encarada não como uma ameaça mas como parceiro econômico” e até mesmo como “potencial parceiro para a Otan”.

A nova cortina de ferro

A Letônia está construindo uma cerca metálica de 90 quilômetros, dois metros e meio de altura, ao longo da fronteira com a Rússia, que será concluída dentro de um ano. Em 2019 se estenderá por mais 190 quilômetros da fronteira, ao custo previsto de 17 milhões de euros.

Otan em expansão e cada vez mais custosa se estende sobre a Europa

Realiza-se nos dias 11 e 12 de julho, em Bruxelas, a Cúpula da Otan em nível de chefes de Estado e de governo dos 29 países membros.

Circuito de morte no “Mediterrâneo ampliado”

Os holofotes político-midiáticos, focalizados nos fluxos migratórios Sul-Norte através do Mediterrâneo, deixam na sombra outros fluxos: os de Norte-Sul de forças militares e armas através do Mediterrâneo. E ainda mais: através do “Mediterrâneo ampliado”, área que, no quadro da estratégia EUA/Otan, se estende do Atlântico ao Mar Negro e, ao sul, até o Golfo Pérsico e ao Oceano Índico.

EUA e União Europeia rivalizam mas se unem contra Rússia e China

Enquanto o G-7 racha como efeito da guerra das tarifas aduaneiras, os próprios litigantes se recompõem fortalecendo a Otan e sua rede de parceiros.

Os EUA e seu novo pacote de bomba nuclear

A nova bomba nuclear B61-12 – que os EUA se preparam para enviar à Itália, Alemanha, Bélgica, Holanda e provavelmente a outros países da Europa – está em fase final de produção.

Fake made in Usa e mentiras italianas

Para motivar a guerra de 2003, os Estados Unidos acusaram o Iraque de possuir armas de destruição em massa: o secretário de Estado, Colin Powell, apresentou à ONU uma série de “provas”, depois reveladas como falsas, como o próprio teve que admitir em 2016.

Líbia, sete anos de uma calamidade provocada pela Otan

Há sete anos, no dia 19 de março de 2011, começava a guerra contra a Líbia, dirigida pelos Estados Unidos, primeiramente por meio do Comando Africano, depois da Otan sob comando estadunidense. Em sete meses foram efetuadas cerca de dez mil missões de ataque aéreo com dezenas de milhares de bombas e mísseis.

1 2 3 7