A esquerda bem informada
A esquerda bem informada

Jaime Sautchuk

Trabalhou nos principais órgãos da imprensa, Estado de SP, Globo, Folha de S.Paulo e Veja. E na imprensa de resistência, Opinião e Movimento. Atuou na BBC de Londres, dirigiu duas emissoras da RBS.
Governo libera florestas

“O desmatamento, comércio ilegal de madeira e mineração, já feitas com apoio do governo federal, têm agora caráter oficial.”

Mortes nas ruas

“Os investimentos na modernização dos sistemas de transportes públicos são escassos e os coletivos têm que disputar espaços nas ruas com o automóvel particular, utilitários e outros veículos. “

O planeta sem rumo

O destempero do clima, com temperaturas fora do comum e águas racionadas, fogo desvairado pondo fim às florestas que ainda resistem ao desmatamento ganancioso, tudo parece ameaçar a vida na Terra. E se mostram cada vez mais distantes as possibilidades de organizar o Planeta.

Programa habitacional fajuto

É bem verdade que o problema da habitação nunca foi simples no Brasil, um país de favelas e mansões, reproduzindo a desigualdade socioeconômica que sempre vigorou. Agora, porém, até o programa Minha Casa Minha Vida deixou de ser um empreendimento popular e virou um lucrativo negócio imobiliário, voltado a quem tem boa renda e com certeza vai poder pagar.

Diplomacia traz parente

Mesmo nos períodos mais duros da sua história, o Brasil conseguiu manter uma postura de autonomia e retidão na sua área diplomática. Agora, contudo, o presidente da República quebra essa tradição dos governos brasileiros e promete indicar um filho seu ao cargo de embaixador do país nos Estados Unidos, inaugurando o nepotismo também nesse ramo de atividade.

 Moro se faz de vítima

Em depoimento no Senado Federal, o ministro Sérgio Moro tentou se livrar da marca de chefe do conluio pra retirar o ex-presidente Lula da política, pela via judicial.

Moro finge de morto

É certo que boa parte da opinião pública já descobriu que Sérgio Moro, o ex-juiz herói da Operação Lava Jato, que parecia estar fora da política, é o político que agora virou ministro. E que a grande mídia nacional escondia suas ações ilegais, que incluem a invasão de privacidade de Lula e Dilma Rousseff, em 2016.

Faltou gente nas ruas

Em cinco meses de gestão tenebrosa, o novo governo apenas confirma que sua sina é andar pra trás. As manifestações de rua de domingo, dia 26, que eram pra se contrapor às marchas estudantis de dias antes, foram retumbantes fracassos – deram chabu.

Grande golpe no ensino

O corte nos orçamentos das universidades, escolas federais e instituições de pesquisa em todo o Brasil, que já anda navegando na casa dos bilhões de reais, não é um lance econômico pontual, passageiro. É um plano muito bem urdido de eliminação do ensino público e gratuito e das ciências no país.

Amazonia em conflito

Já era esperado, desde que Donald Trump virou presidente dos Estados Unidos, que o petróleo da Venezuela virasse o foco do vizinho do Norte. A maior reserva do mundo enterrada ali, na porta dos fundos dos EUA, não poderia ser de um país independente, com governo soberano, que não entrega suas riquezas assim, facilmente.

Governo em família

Faturar o prestígio dos avós na política já é costume na história recente do Brasil. Eduardo Campos seguiu o rumo de Miguel Arraes, Aécio o de Tancredo Neves e Fernando Collor o de Lindolfo, por exemplo. Mas, de todo jeito, cada um ao seu tempo, sem que se metessem nos governos dos mais velhos, bem diferente do que ocorre agora no país.

Adeus, Amazônia

O advogado Ricardo Salles, que assumiu o cargo de ministro do Meio Ambiente do atual governo, disse que nunca esteve na Amazônia e que já ouviu falar de Chico Mendes, mas “com histórias de todos os lados”. A ele, o fato do líder seringueiro ser reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) “não quer dizer nada”.

1 2 3 24